Filme indicado ao Oscar vence boicote e chega à Índia

Os cinemas da Índia exibem hoje finalmente o filme Water (Água), da cineasta Deepa Mehta, que afirmou que o boicote de sete anos por parte de extremistas hindus em Benares prova que a verdade deve ser conhecida. Indicada ao Oscar de melhor filme estrangeiro, a produção canadense fala sobre o drama da exclusão das viúvas indianas na década de 1930. Ela teve que ser rodada no Sri Lanka, depois de radicais hindus impedirem as filmagens em Benares, em 2000.Em entrevista à agência indiana ans, Mehta falou do seu orgulho por ver seu filme chegar finalmente às telas indianas. Para ela, todas as dificuldades que teve que enfrentar valeram a pena.A luta de cinco anos aumentou o desafio. O roteiro não mudou, quem mudou fui eu, afirmou.RadicalismoHoje sou capaz de ver o mesmo roteiro de um ponto de vista diferente. Se tivesse feito Water cinco anos antes, em Benares, teria sido um filme diferente, acrescentou.A diretora, cujo filme completa a trilogia que iniciou com Earth (Terra) e Fire (Fogo), ressaltou que se horroriza com a discriminação social, uma realidade evidenciada pelo boicote ao seu filme em Benares.Radicais hindus destruíram os cenários preparados para o filme e ameaçaram Mehta. A cineasta foi acusada de usar o seu filme para atacar a reputação do hinduísmo e a imagem de Benares, além de ser instrumento de uma conspiração cristã contra a religião hindu.Quando saí de Benares para filmar no Sri Lanka, eu me senti livre do ponto de vista criativo, insistiu a diretora. Para ela, trabalhar na ilha ampliou sua visão das coisas.Respondendo às acusações dos extremistas de vender a miséria da Índia ao Ocidente, Mehta disse que não há razão para ocultar a verdade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.