AP
AP

Filme egípcio feito na Praça Tahrir traz esperança

'Winter of Discontent' estreiará no Festival de Veneza deste ano

SHAIMAA FAYED, Reuters

13 de agosto de 2012 | 16h27

CAIRO - Quando o cineasta egípcio Ibrahim el-Batout estava no meio da multidão da Praça Tahrir, no Cairo, na véspera da queda de Hosni Mubarak no ano passado, seu primeiro instinto foi começar a filmar.

Com um telefonema rápido ao ator Amr Waked, um dos apoiadores de primeira hora da insurreição do ano passado, e à atriz Farah Youssef, em algumas horas o trio estava filmando uma cena na Praça Tahrir na qual um homem procura a namorada em meio à multidão.

O resultado é Winter of Discontent, filme com uma mensagem de esperança que marca uma posição mais otimista de um diretor que passou quase duas décadas retratando o desespero da guerra.

"De tudo que tinha testemunhado, havia visto apenas seres humanos em pedaços e almas partidas", afirmou El-Batout. "Naquele dia na Tahrir, vi pessoas voltando à vida e isso é incrível."

"Olhava nos olhos delas e pensava 'vocês estavam mortas há 18 dias. Agora vocês estão de volta'. Isso eu nunca tinha visto em outro lugar."

O filme acompanha um ativista, um jornalista e um agente da segurança do Estado em 2009 e a forma como eles convergem dois anos depois, durante o levante de 18 dias da 'Primavera Árabe' no Egito contra Mubarak e seu odiado aparato de segurança.

Em uma entrevista à Reuters, El-Batout e Waked afirmaram que o filme não é sobre os acontecimentos políticos no Egito, mas uma tentativa de mostrar de que forma algo positivo pode emergir da agonia humana.

"Ele é uma mensagem sobre a resiliência humana", afirma Waked.

O realismo da primeira cena reflete o background de El-Batout - ele registrou mais de 12 guerras ao redor do mundo, incluindo na Bósnia e em Ruanda.

Ele foi premiado pelo filme anterior Ain Shams e foi finalista do Sony International Impact Award de 2003 pelo documentário Mass Graves in Iraq.

O filme estreará no 69º Festival de Veneza em 29 de agosto, competindo na seção Orizzonti, de novas tendências do cinema mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.