AFP PHOTO / TIZIANA FABI
AFP PHOTO / TIZIANA FABI

Filme 'Desde Alla' do Lorenzo Vigas vence Festival de Veneza

Imprensa acusa júri de favorecer os latinos; 'Boi Neon', de Gabriel Mascaro, ganhou prêmio na mostra Horizontes

AFP, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2015 | 17h38

O filme Desde Allá, do cineasta venezuelano Lorenzo Vigas, foi premiado no sábado, dia 12, com o Leão de Ouro do festival de Veneza, enquanto o brasileiro Boi Neon, de Gabriel Mascaro, obteve o prêmio especial do júri na mostra Horizontes.

“Creio que este prêmio será muito bem recebido no meu país, onde temos tido muitos problemas nos últimos anos. Espero que este prêmio ajude um pouco. Estou seguro de que vamos dialogar entre nós para continuar adiante”, declarou.

O filme, que ilustra os conflitos e as diferenças sociais, é marcado por um ritmo lento, os silêncios e os contrastes entre um mundo íntimo árido e outro externo vital. Aplaudido pela imprensa especializada em sua primeira exibição, dividiu o público, mas sobretudo convenceu o júri presidido pelo mexicano Alfonso Cuarón, acusado de suposta proteção ao cinema latino.

Boi Neon, produção do pernambucano Mascaro, conta a história de um vaqueiro do nordeste (Juliano Cazarré) que tem o sonho de ser costureiro.

O cinema latino-americano ganhou também o Leão de Prata por melhor direção, com o filme argentino El Clan, de Pablo Trapero, o nono longa-metragem do autor de Mundo Grúa, baseado em uma história real, ocorrida nos anos 80 sobre a família Pucci, que fazia sequestros extorsivos de pessoas próximas e as matavam após mantê-las em cativeiro em sua própria casa, em um bairro de classe média na periferia norte de Buenos Aires.

“Estou muito, muito feliz. Amo cinema, amo estar aqui. Estou feliz de estar com vocês”, declarou um emocionado Trapero. O bom estado de saúde do cinema latino-americano havia sido antecipado à AFP pelo diretor do festival Alberto Barbera, que reconheceu que as obras mais inovadoras vem desta região.

O cineasta americano Charlie Kaufman levou o Grande Prêmio do Júri com Anomalisa, um stop motion baseado em uma obra de teatro própria, que pode se tornar o primeiro filme de animação proibido para menores por cenas de sexo ousadas entre bonecos.

A Itália, com quatro filmes na competição, ficou com um prêmio de consolação, a Copa Volpi, pela melhor atuação da atriz Valeria Golino por seu papel de mãe cega diante dos problemas de sua própria família em Per amore vostro, de Giuseppe Gaudino. A França ganhou dois prêmios por Hermine: a Copa Volpi por melhor ator para Fabrice Luchini, e melhor roteiro para Christiane Vincent.

Tudo o que sabemos sobre:
Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.