Filme de R$ 2 mil concorre em Cannes

Um funcionário público sem qualquer treinamento formal teve seu filme de R$ 2 mil selecionado para a mostra competitiva do Festival de Cinema de Cannes. The Man who Met Himself (O homem que encontrou a si mesmo, em tradução livre) conta a história de um detetive particular que investiga um suicídio e é o único filme britânico selecionado para a categoria de curta-metragens.Ben Crowe, de 27 anos, e seus amigos, são responsáveis pelo filme estrelado pelo irmão de Ben, Daniel, que faz sua estréia nas telas. O filme foi um dos nove selecionados entre mais de 3 mil candidatos à mostra. Ele foi filmado este ano durante fins de semana em Covent Garden, em Londres, e vai ser exibido no festival, que vai de 11 a 22 de maio.Crowe, ex-funcionário dos serviços ferroviários e que hoje trabalha no Departamento para Assuntos Constitucionais, escreveu, dirigiu, produziu e filmou o curta, antes de editá-lo em seu computador, em casa.A namorada dele, Preti Taneja, de 28 anos e funcionária de uma ONG, co-escreveu e produziu o curta de dez minutos de duração. O casal e o outro produtor, James Brown, de 29 anos, fizeram o filme com dinheiro do próprio bolso."É como um conto de fadas para a gente. Nenhum de nós jamais pisou em uma escola de cinema. Decidimos fazer o filme quando Ben vendeu seu bandolim para levantar recursos para comprar uma câmera", disse Taneja. "É sobre o mito do ´outro eu´, o que acontece quando alguém conhece seu próprio dublê." Ela acrescentou que eles escreveram o filme em seu tempo livre e montaram uma enorme lista de todos os festivais em que queriam que ele fosse exibido."Não teríamos acordado cedo nas manhãs frias e chuvosas dos fins de semana para fazer o filme, se não acreditássemos nele. Mas ainda assim, a indicação foi uma surpresa maravilhosa."A primeira experiência de Ben Crowe na direção foi quando uma idéia dele para um mini-documentário de três minutos foi aceita em um esquema de um dos principais canais de TV aberta da Grã-Bretanha."Quando recebi o telefonema (sobre o filme ter sido selecionado para Cannes) estava no trabalho, e achei que fosse o produtor, James, passando um trote", disse Crowe. "É um reconhecimento maravilhoso para qualquer cineasta, mas para uma pequena equipe independente é como um sonho tornado realidade."O porta voz da Film London, Andy Cole, acrescentou: "É impressionante que um filme realizado com um orçamento tão baixo tenha alcançado tanto. Um grande filme surge de uma grande idéia, e com a tecnologia de hoje, qualquer um pode fazer um filme com pouco dinheiro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.