Filme de Meirelles disputa 62.º Festival de Veneza

O diretor do Festival de Cinema de Veneza, Marco Müller, apresentou hoje em Roma o programa da próxima edição do evento. A seleção de 54 filmes de 20 países consolida os grandes nomes do cinema e também abre espaço para os novos talentos.A 62.ª edição da mostra acontecerá de 31 de agosto a 10 de setembro e oferecerá um amplo panorama do cinema europeu atual, com filmes da França, Portugal, Itália, Alemanha e Reino Unido, com uma forte presença norte-americana, o que explica a diminuição da mostra de 71 para 54 filmes do ano passado para cá. Segundo Müller, por razões de segurança, o festival será menor este ano.O diretor brasileiro Fernando Meirelles é um dos raros nomes latinos a participar da mostra competitiva que terá 19 títulos. Meirelles concorre com seu segundo longa-metragem, The Constant Gardener (O Jardineiro Fiel) uma co-produção falada em inglês entre Grã-Bretanha, Alemanha e Quênia, rodada na África, estrelado por Ralph Fiennes (Justin Quayle) e Rachel Weisz, entre outros atores. Na competição estão ainda Brokeback Mountain, de Ang Lee; Espelho Mágico, do português Manoel de Oliveira, e Mary, de Abel Ferrara, com Juliette Binoche como protagonista. Além de dois filmes de atores renomados estreando na direção: Goodnight and Good Luck, de George Clooney e Romance and Cigarettes, de John Turturro.O festival o ano passado que consagrou Mar Adentro, do diretor espanhol de origem chilena Alejandro Amenábar, com o prêmio de melhor ator para Javier Bardem e o prêmio especial do júri, não terá representantes da Espanha. Dois filmes espanhóis serão exibidos fora da competição oficial: Fragile, do diretor Jaume Balagueró e o últimotrabalho de Isabel Coixet, La Vida Secreta de las Palabras, queabrirá a sessão alternativa Horizonte. Neste mesmo segmento será exibido o documentário do cineasta argentino Fernando E. Solanas, La Dignidad de los Nadies Armados e o brasileiro ÁridoMovie, de Lírio Ferreira, com Guilherme Weber, Renata Sorrah, Paulo César Pereio, Selton Mello, José Dumont, Giulia Gam e José Celso Martinez Corrêa.O cinema italiano será representado por des filmes de alguns dos diretores mais prestigiados do país, como PupiAvati e Cristina Comencini, que disputarão o Leão de Ouro com LaSeconda Notte di Nozze e La Bestia nel Cuore, respectivamente.Entre os representantes italianos estará também o cantor Franco Battiato com seu filme Musikanten, sua segunda incursãocinematográfica depois de Perduto Amor (2003), que será exibido na sessão Horizonte.Um dos destaques entre os filmes fora de concurso é All the Invisible Children, longa-metragem realizado por sete dos grandes diretores, como Spike Lee, Ridley Scott e John Woo.A próxima edição do Festival de Veneza terá ainda uma importante representação do cinema asiático, que inclusive foram escolhidos para abrir e fechar o evento: Seven Swords, do chinês Tsui Hark, inaugura a mostra, enquanto Perhaps Love, do cineasta de Hong Kong Peter Ho-sun Chan, fechará o festival que terá ainda filmes do Japão e da Coréia.Müller destacou o aspecto plural da edição, para a qual os filmes selecionados buscam transmitir "a liberdade narrativa e o esplendor da forma, o prazer da tela grande e a contínua aposta na discussão da idéia de ficção".Este festival exibirá cópias restauradas de filmes míticos como Casanova, de Federico Fellini, que vem sendo recuperado há mais de dois anos. O clássico de 1976 será exibido após a projeção de uma nova versão realizada por Lasse Hallstrom, que faz uma recompilação dos Casanovas da história cinematográfica.Os organizadores do evento selecionaram 54 filmes de 20 países, após assistirem mais de 1,9 mil filmes, dos quais 800 eram curtas-metragens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.