Filme de Jacques Audiard ganha oito prêmios César

O filme De Battre Mon Coeur S´est Arreté, de Jacques Audiard, foi hoje o grande vencedor do prêmio César do cinema francês, onde conquistou oito estatuetas, entre elas a de melhor filme e a de melhor diretor.Com exceção dos prêmios de melhor ator e melhor som, o filme de Audiard conquistou todos os prêmios aos quais concorria, boa parte deles técnicos como música, fotografia e montagem e outros de maior prestígio, como o de roteiro adaptado, atriz estreante e de ator coadjuvante.De Battre Mon Coeur S´est Arreté narra a história do filho de um agente imobiliário que, diante dos métodos pouco ortodoxos que seu pai emprega para cobrar aluguel, decide abandonar o negócio familiar para se tornar um pianista.Audiard recebeu pessoalmente duas das estatuetas,roteiro e direção, que somou às duas que já possuía, uma por melhor filme em 1995 e outra por melhor roteiro em 2002.A onipresença de De Battre Mon Coeur S´est Arreté deixou totalmente em segundo plano os outras favoritos, especialmente a fita Joyeux Noel, de Christian Carion, que não recebeu o apoio que esperava da Academia para lutar pelo Oscar de melhor filme estrangeiro.Os irmãos Dardenne, que tinham triunfado no Festival de Cannes com L´Enfant, também partiram com as mãos vazias.Outras produções com menos indicações tiveram uma melhor sorte. A magistral interpretação do ex-presidente francês François Mitterrand de Michel Bouquet em Le prommeneur du Champ de Mars lhe valeu o prêmio de melhor interpretação masculina, desbancando o favorito Romain Duris, de "De battre mon coeur s´est arreté".Nathalie Baye ganhou o César de melhor atriz, o quarto de sua carreira pela atuação em Le Petit Lieutenant, no qual interpreta uma policial.A festa de entrega dos prêmios foi marcada pelas reivindicações dos trabalhadores temporários do espetáculo, que aproveitaram a transmissão ao vivo para expressarem seu desejo de melhores condições de trabalho.Clint Eastwood ganhou o César de melhor filme estrangeiro por Menina de Ouro, que competia com Mar adentro, de Alejandro Amenábar, Ponto Final, de Woody Allen, Marcas da Violência, de David Cronenberg, e Walk on Water, de Eytan Fox.

Agencia Estado,

26 de fevereiro de 2006 | 08h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.