Filme de Haneke está entre os favoritos para premiação em Cannes

O Festival de Cinema de Cannes teve aplausos e vaias em igual medida este ano, deixando seu público apaixonado e exigente com muito para amar, odiar e rir.

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

25 de maio de 2012 | 14h15

Faltando dois dias para o encerramento da maratona cinematográfica de 12 dias, o festival também encontrou o equilíbrio entre apresentar filmes independentes de todo o mundo e atrair estrelas suficientes para o tapete vermelho para satisfazer a sede de glamour e celebridades.

E, ao contrário de alguns festivais recentes, os vips continuavam aparecendo até o fim, com o galã de "Crepúsculo" Robert Pattinson devendo certamente atrair grandes multidões nesta sexta-feira para a estreia mundial de seu filme "Cosmopolis", sobre a crise financeira.

A maior vitrine cinematográfica do mundo termina com uma cerimônia de premiação no domingo, quando a cobiçada Palma de Ouro de melhor filme será anunciada.

Enquanto muitos dos 4.000 jornalistas e críticos preparam suas malas para voltar para casa, as conversas se voltavam para quais dos 22 filmes na disputa principal têm mais chance de ganhar.

O austríaco Michael Haneke, que está ganhando reputação de melhor diretor da Europa, levou o público às lágrimas com "Amour" (Amor), um retrato contido da doença e morte de uma mulher idosa e de como o marido lidou com isso.

As performances dos atores Jean-Louis Trintagnant e Emmanuelle Riva, ambos na casa dos 80, foram destacadas, embora Cannes tenha o costume de não conceder vários prêmios ao mesmo filme.

Outra representação do sofrimento, desta vez baseado em um exorcismo da vida real que tragicamente deu errado, colocou o romeno Cristian Mungiu com uma boa chance de vitória com "Beyond the Hills", passado em um remoto mosteiro.

Qualquer dos dois filmes seria um vencedor popular, mas o fato de ambos os diretores já terem ganhado a Palma de Ouro antes pode afetar a decisão dos juízes.

Pelo menos mais seis filmes elegíveis são vistos como candidatos, com alguns dividindo a opinião dos espectadores do festival.

Das cinco produções norte-americanas em competição, "Killing Them Softly", estrelado por Brad Pitt, tem sido a mais popular até agora, contando uma história de gangsters em um cenário de crise econômica e política nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Festival-de-Cannes-2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.