Filme de Fatih Akin vence grande prêmio do cinema alemão

Um filme do diretor turco-alemão FatihAkin recebeu o prêmio máximo do cinema alemão, no valor de 5milhões de dólares, na sexta-feira, conquistando os troféus demelhor filme e em três outras categorias. A premiação é a quetem o maior valor monetário no mundo. O drama "Do Outro Lado", de Akin -- uma história de perda,luto e perdão ambientada na Alemanha e na Turquia -- recebeutrês prêmios "Lola" adicionais de melhor diretor, melhorroteiro original e melhor edição. "Obrigado, obrigado, obrigado", disse Akin, diretorresidente em Hamburgo, de ascendência turca, cujos filmes sobreas dificuldades enfrentadas pelos imigrantes turcos na Alemanhatambém já lhe valeram reconhecimento nos festivais de cinema deBerlim e Cannes. "É muito difícil mensurar a arte de qualquer maneira",disse Akin, 34 anos, cujo filme "Contra a Parede", de 2003,também teve reconhecimento internacional. "Por isso, estou felicíssimo. Não fazemos filmes pelosprêmios que podem ganhar, mas para a vida", disse ele nacerimônia de gala que teve a presença de 1.500 espectadores efoi transmitida na televisão nacional. O trabalho mais recente do diretor acompanha as vidasfrágeis de quatro turcos e dois alemães que se conectam emjornadas emotivas rumo à reconciliação, na Alemanha e naTurquia. Suas vidas se entremeiam pelo amor e a tragédia nosdois países. "Kirschblueten" (Flores de Cerejeira), de Doris Doerrie,uma história de amor comovente sobre um funcionário públicobávaro ranzinza, recebeu seis indicações ao Lola, mas ganhouapenas dois prêmios: de melhor ator (Elmar Wepper) e figurino.Além disso, recebeu o Lola de prata de melhor filme. O inesperado sucesso de bilheteria "Die Welle" (A Onda), deDennis Gansel, drama ambientado na Alemanha moderna sobre umcolégio no qual um professor carismático impõe um regimeautoritário, levou o Lola de bronze na categoria melhor filme. Mais de mil profissionais de cinema que compõem a AcademiaAlemã de Cinema escolheram os premiados. O objetivo dos Lolanão é premiar o sucesso nas bilheterias, mas o valor cultural. O governo subvenciona os 3 milhões de euros em prêmios, quesão distribuídos entre as dezenas de filmes indicados, comosubsídio indireto para projetos futuros. Entregues anualmente desde 1951, os Lolas são o equivalentealemão aos Oscars de Hollywood ou os prêmios Bafta britânicos. Em 2006, "A Vida dos Outros" recebeu sete Lolas e, maistarde, o Oscar de melhor filme em língua estrangeira. O filme mais comentado este ano não fez parte dacompetição. "Keinohrhasen" (Coelho Sem Orelhas), de TilSchweiger, ganhou mais de 60 milhões de dólares nasbilheterias. Mas a Academia disse que o diretor não inscreveu ofilme a tempo de ele ser incluído na competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.