Filme de Cacá Diegues ganha principal prêmio de Montreal

O filme brasileiro "O Maior Amor do Mundo" e o japonês "Nagai Sanpo" ganharam nesta segunda-feira, 4, o prêmio principal no Festival de Cinema do Mundo de Montreal, no Canadá."O Maior Amor do Mundo", filme do diretor Cacá Diegues que estréia no Brasil nesta quinta-feira, se concentra em Antônio, um solteiro solitário de 55 anos que, após ser diagnosticado com um tumor no cérebro e passar a maior parte de sua vida adulta nos Estados Unidos, decide voltar ao Brasil em busca de sua mãe biológica.Diegues, ex-poeta, crítico de cinema e jornalista, dirigiu filmes como "Quilombo" e "Bye bye Brasil"."Nagai Sampo", do diretor Eiji Okuda, relata a história entre um diretor de escola aposentado e uma menina de 5 anos no interior do país. Okuda é autor, entre outras, de "Shojo" e "Runi: Banished".O filme porto-riquenho "Ruido", do diretor dominicano César Rodríguez, recebeu o prêmio de "Inovação". "Ruido" narra os problemas de uma jovem com problemas auditivos dentro de uma família que se dissolve após a separação de seus pais.A organização do Festival decidiu conceder o prêmio "Zenith de ouro" de primeiro longa-metragem de ficção a Andrés León Becker e Javier Solar, pelo filme mexicano "Más que a nada en el mundo".O "Zenith de Prata" foi para a obra equatoriana "Qué tan Lejos", de Tania Hermida."Más que a Nada en el Mundo" narra a história de Alicia, uma jovem que acredita que os problemas sentimentais de sua mãe são sinais de que ela é possuída por um vampiro."Qué Tan Lejos" se concentra na viagem realizada por Esperanza, uma turista espanhola, e Tristeza, uma equatoriana universitária, para a cidade de Cuenca, no sul do Equador.O prêmio "Glauber Rocha" para o melhor filme latino-americano foi para "Mariposa Negra", do peruano Francisco Lombardi, realizada em coprodução com a Espanha."Mariposa Negra" relata a mudança de vida de uma professora chamada Gabriela e de Angela, uma jornalista de um diário opositor, depois que o namorado de uma delas é assassinado durante o Governo do ex-presidente peruano Alberto Fujimori.Ni Ping recebeu o prêmio de melhor atriz por seu papel no filme chinês "Snow in the wind", de Yang Yazhou, e Filip Peeters foi premiado como melhor ator por sua participação na coprodução hispânico-belga "Del Hel Van Tanger", de Frank Van Mechelen.O prêmio de melhor diretor foi para o norueguês Hans Peter Moland por "Gymnaslaerer Pedersen" e o prêmio especial do júri foi para o filme chinês "Snow in the wind".Guy Dufaux recebeu o prêmio de melhor contribuição artística pelo filme franco-canadense "The Chinese Botanist´s Daughters", de Dai Sijie.O júri concedeu o prêmio de melhor roteiro a Edin Hadzimahovic pela obra germânico-eslovena "Warchild".As deliberações do júri começaram em 24 de agosto e foram encerradas nesta segunda-feira. Integravam o júri a atriz americana Kathy Bates, o diretor canadense Marc-Andre Forcier, Michel Gagnon, o roteirista francês Guillaume Laurant, o diretor romeno Dan Pita e o produtor dinamarquês Vibeke Windelov.O ator suíço Bruno Ganz, o canadense Remy Girard e a atriz francesa Bole Ogier foram premiados por sua contribuição "excepcional" à sétima arte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.