Filme de Babenco é recebido com entusiasmo em Roma

O Passado, que estréia hoje no Brasil, comoveu a platéia, que participou de debate logo após a sessão

Flávia Guerra, Estadão

07 Outubro 2026 | 14h40

"Este não é um filme feito para mulheres ou para homens. É um filme sobre gente, sobre relacionamentos, sobre separação e sobre o amor", dizia Hector Babenco para o público do Festival Internacional de Cinema de Roma, que assistiu, na quinta-feira, 25, à première européia de seu novo longa: O Passado.   Veja também: Trailer de 'O Passado'   Hector Babenco fala sobre seu novo filme, 'O Passado'    O filme, que integra a seção Cinema 2007 e concorre ao troféu Marco Aurélio, o prêmio máximo da Festa de Roma (como também é chamado o festival), comoveu a platéia. Não faltaram perguntas sobre o quanto autobiográfico o filme é para o diretor. "É claro que há muito de mim nesta história, mas este é um filme inspirado em um livro - o romance homônimo de Alan Pauls - e por isso tem também muito de ficção obviamente", respondeu o diretor, que abriu na semana passada a 31ª Mostra de Cinema de São Paulo.   Ao contrário da capital paulista, o elenco capitaneado por Gael Garcia Bernal não estava presente à sessão. Sobre Gael, Babenco explicou à platéia européia: "Eu tentei achar um jovem ator como ele no Brasil, mas não encontrei o que eu procurava. Eu precisava de alguém que pudesse fazer um ´jovem velho´. A melancolia que está presente na vida de Rimini não é uma característica muito marcante nos brasileiros, que vivem a vida com muito mais leveza que os argentinos e os europeus."   O público europeu também se encantou com os cenários de O Passado. "Assim como Gael, que é mexicano, as locações em Buenos Aires, onde se passa o romance também, eram muito mais adequadas para a história que quis contar. Mas o filme é uma co-produção. As filmagens foram quase todas na Argentina. Há cenas em São Paulo, mas são poucas. O que passa é que toda a pós-produção foi feita no Brasil. E acabou tudo se equilibrando muito bem."   O público aprovou. Neste sábado, pela manhã, após o concerto regido pelo mestre italiano Ennio Morricone, será revelado como o júri, que é popular, formado por 50 pessoas escolhidas na Itália e em vários países e presidido pelo cineasta bósnio Danis Tanovic, recebeu O Passado.

Mais conteúdo sobre:
O Passado babaenco Festival de Roma

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.