Filme com morte de Steve Irwin é entregue a sua mulher

A única gravação contendo as imagens de Steve Irwin, o "caçador de crocodilos", sendo atacado e em seguida morto por uma arraia foi entregue a sua mulher, Terri, a fim de garantir que nunca seja divulgada, afirmaram autoridades australianas nesta quinta-feira. O legista-chefe do Estado australiano de Queensland, que investigou a morte de Irwin, disse que a polícia havia repassado a gravação a Terri Irwin pouco antes do Natal. Todas as cópias da fita, que mostra uma arraia atingindo o peito de Irwin enquanto ele filmava um documentário no norte de Queensland, haviam sido destruídas para garantir que nunca fossem inadvertidamente divulgadas, afirmou o legista Michael Barnes. "Essas imagens vêm alimentando um grande interesse dos meios de comunicação e tivemos de adotar todas as medidas possíveis para evitar que algo de natureza tão pessoal e trágica caísse nas mãos erradas", afirmou Barnes em um comunicado. O jornal The Australian afirmou que, segundo Barnes, a polícia havia dito que alguns interessados estavam oferecendo "1 milhão de dólares australianos" pela gravação e que as imagens, se divulgadas, seriam colocadas em um site no qual seria preciso pagar para vê-las. Terri Irwin disse que o vídeo mostrando a morte de seu marido, de 44 anos, não seria nunca divulgado. O jornal Australian afirmou que a gravação mostrava Irwin nadando sobre uma arraia antes de o animal atingi-lo no peito com o aguilhão que fica na sua cauda. Irwin é visto tirando o aguilhão do peito antes de cair inconsciente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.