Filme brasileiro vence Festival de Biarritz, na França

O filme brasileiro "Proibido Proibir", dirigido pelo chileno Jorge Durán, ganhou o prêmio de melhor longa-metragem do Festival de Cinema e Culturas da América Latina de Biarritz, realizado na França.O júri, presidido pela editora literária e jornalista francesa Laure Adler, premiou também filmes e atores do México, Argentina, Peru e Equador, segundo a lista de vencedores da competição, que está em sua décima quinta edição.O prêmio principal, chamado "Abraço", foi para a produção brasileira de Durán, que venceu dez concorrentes entre os longa-metragens. Exibido também durante o recém terminado Festival de San Sebastián, "Proibido Proibir" fala de um triângulo amoroso e mostra o cotidiano de três estudantes, interpretados por Maria Flor,Alexandre Rodrigues e Caio Blat. O filme tem como tema a violência e a corrupção policial no Brasil.O prêmio especial do júri foi para "En el Hoyo", de Juan Carlos Rulfo (México), enquanto o de público foi para "Tiempo de Valentes" de Damián Szifron (Argentina) e a menção do júri para "Mezcal" do mexicano Ignacio Ortiz.Quanto aos prêmios que reconhecem a interpretação, o feminino foi para Melania Urbina, por seu papel em "Mariposa Negra", de Francisco Lombardi (Peru) e o masculino para Manuel Calisto Sánchez por "Cuando me Toque a mi", de Víctor Arregui (Equador)Quanto aos curta-metragens, o prêmio do melhor obra foi para "Alguma Coisa assim", do brasileiro Esmir Filho.No festival, que começou no dia 25 de setembro, foram projetados cerca de 100 filmes.Além dos longas e curtas em competição, foram exibidos filmes em outras seções. Na edição deste ano, o festival de Biarritz prestou homenagem ao ator argentino Federico Luppi e à cinematografia chilena dos anos compreendidos entre 1968 e 1990.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.