Filme brasileiro 'Pendular', de Júlia Murat, é premiado no Festival de Berlim

Filme brasileiro 'Pendular', de Júlia Murat, é premiado no Festival de Berlim

Produção nacional recebeu o prêmio da crítica na seção Panorama

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2017 | 11h48

BERLIM - Saíram os primeiros prêmios aqui na Berlinale. Prêmios da crítica, da Anistia Internacional, do júri ecumênico. E deu Brasil! Júlia Murat ganhou o prêmio da crítica na seção Panorama por Pendular, sobre um casal de artistas. A diretora fez um agradecimento emocionante, dedicando o prêmio ao crítico José Carlos Avellar, que morreu no ano passado.

O melhor filme da competição, para a Fipresci, Federação Internacional da Imprensa Cinematográfica, foi o húngaro On Body and Soul, de Ildikó Enyedi, que também recebeu os prêmios do júri ecumênico e do público – um júri formado por leitores do Berliner Morgenpost.

O prêmio da Anistia Internacional foi para La Libertad del Diablo, de Everardo González, exibido em Berlinale Special. Ontem à noite – sexta, 17 – saiu o Teddy Bear, o Urso de Ouro gay. Foi para o chileno Una Mujer Fantástica, de Sebastian Lelio, que conta a luta de uma transexual pelo direito de fazer seu luto pelo companheiro. Hoje à noite, sábado, 18, serão anunciados os vencedores dos prêmios do júri presidido pelo cineasta Paul Verhoeven, de Elle.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.