Shannon Stapleton/Reuters
Shannon Stapleton/Reuters

Filho de Michael Douglas é condenado a 5 anos de prisão por tráfico de drogas

Segundo juiz do caso, Cameron Douglas consome substâncias ilícitas desde os 13 anos de idade

20 de abril de 2010 | 19h49

Efe

 

LOS ANGELES- Cameron Douglas, filho do ator Michael Douglas, foi condenado nesta terça-feira, 20, a cinco anos de prisão pelos crimes relacionados a tráfico de drogas dos quais havia se declarado culpado.

 

Cameron, de 31 anos, está preso desde julho passado, quando foi detido em um hotel de Nova York com cerca de 500g de "cristal", a forma mais pura de metanfetamina, que tinha planejado distribuir e já tinha aceitado vender uma parte por US$ 15 mil.

 

A pena recomendada para o crime de tráfico é de dez anos, mas o juiz do caso, Richard Berman, aplicou apenas metade pela porque Cameron aceitou colaborar com a Justiça.

 

Berman recordou que o neto do também ator Kirk Douglas consome drogas desde os 13 anos e que o tempo que estava preso foi o maior já passado por Cameron em abstinência em muitos anos.

 

O juiz afirmou durante a leitura da sentença que recebeu quase quarenta cartas de amigos e familiares pedindo clemência, mas disse que nenhum desses textos mencionavam o mal que as drogas causam à sociedade.

 

O último a acudir em defesa de Cameron por meio de uma carta foi seu pai, que ao tentar explicar a situação de seu filho, recorreu aos antecedentes de abusos de drogas presentes em sua família, e também ao peso da fama e de que Cameron é fruto de um "casamento falido".

 

"Amo meu filho, mas não estou cego ante seus atos. Não quero que o destruam", disse Michael Douglas em sua carta de cinco páginas ao juiz federal, na qual fala também de uma infância privilegiada, mas também difícil, com um histórico familiar de drogas e alcoolismo.

 

Antes desse texto, também foram divulgadas cartas escritas por Kirk Douglas e pela atriz Catherine Zeta-Jones, na qual pedem a Berman que não condene seu neto e enteado, respectivamente, e afirmam que ordenaram a internação de Cameron em um centro de reabilitação.

 

Em 16 de março, a noiva de Cameron foi liberada após passar sete meses presa, por ser descoberta transportando heroína em 17 pequenas bolsas escondidas no interior de uma escova de dentes elétrica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.