Filho de Carlos Saura estréia na direção

Depois de trabalhar mais de 20 anos como assistente do pai, o filho de Carlos Saura está no Rio para lançar sua primeira aventura como diretor, na mostra Expectativa 2000. Saura Medrano lança O Menino que Queria ser Roberto Carlos, que tem produção de seu irmão Antonio Saura. O filme é ousado e violento, "como devem ser os filmes dos novos cineastas", diz ele ao Estadao.com.br.Medrano conta a história de três amigos, "os três capitães", que se metem com traficantes. Um deles morre numa entrega da droga. Os outros passam a ser perseguidos, enquanto amargam a tristeza de ter perdido o amigo. Optando por uma fotografia contida, bem diferente do cinema estilizado do pai em Tango, mas assemelhando-se ao realismo de Taxi, do mestre espanhol, ele diz que seu cinema guarda do trabalho de Carlos Saura somente a forma de produção: o respeito ao ator, à qualidade e a busca por uma autenticidade no que se faz.Ele não vê problemas na comparação. "Meu pai tem uma trajetória definida em mais de 30 filmes. Eu estou ainda buscando o meu cinema", explica. A maioria do elenco é formada por atores jovens e ele diz que embora não seja a proposta do filme, ele não se importa (e até gosta) que seja visto como um filme para o público jovem. "São atores com cerca de 24 anos com os quais eu pretendo continuar trabalhando. Estamos partindo juntos de um mesmo ponto".Ele diz não se preocupar com a aceitação do filme no mercado norte-americano, nem tão pouco com a competição com as grandes produções dos EUA. "A grande maioria dos filmes visto na Espanha são americanos. É assim no mundo todo. Não se trata de competir ou copiar, mas apresentar uma nova proposta de cinema".O Menino que Queria ser Roberto Carlos é a primeira de muitas produções, segundo Medrano. Ele já pensa em outro roteiro, uma comédia, e parece que vai herdar do pai a gana de produção em grande escala. Mas é modesto quando se refere a si mesmo. "Nós diretores jovens temos que buscar o nosso espaço. Quero fazer os filmes que quiser e da forma que quiser, mas acima de mim sempre estará Almodóvar e Carlos Saura, por exemplo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.