Filha de Orson Welles reclama direitos

Mais de 60 anos depois, Cidadão Kane, de Orson Welles, continua gerando polêmica. Agora, a filha do cineasta, Beatrice Welles, está processando dois estúdios pelos direitos autorais de Cidadão Kane, alegando que um documento de 1944 recém-descoberto lhe confere os direitos sobre o clássico filme, lançado em 1941. Segundo o advogado de Beatrice, a mais jovem dos três filhos do diretor, a ação se deve à descoberta de um acordo fechado em 1944 que anula o acordo anterior, de 1939, pelo qual Welles tinha transferido os direitos de Cidadão Kane para a RKO. A ação também alega que a RKO Pictures a Turner Entertainment não pagaram os royalties devidos ao mesmo acordo de 1939 ao filme Soberba, também de Welles. Um porta-voz do estúdio não comentou o processo, mas disse que a empresa é dona dos direitos e gostaria de manter uma relação amigável com a filha do cineasta. Beatrice Welles, que vive em Nevada, é filha de Orson com sua terceira mulher, a atriz Paola Mori. O diretor teve outros filhos, mas eles não são herdeiros desses direitos autorais e não têm participação no processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.