Festival Sundance exibe curtas na internet

Se você é fã de cinema, não está nacidade americana de Park City, mas tem uma conexão rápida àinternet, ainda tem a chance de assistir a uma seleção dosmelhores curtas-metragens do festival de Sundance, que vai atédomingo. Pelo segundo ano consecutivo, o evento estádisponibilizando na rede algumas das produções que estão sendoexibidas no resort de esqui de Utah, além de apresentar filmesexclusivos como parte do Sundance Online Film Festival (www.sundanceonlinefilmfestival.com).Nos Estados Unidos, onde o Instituto Sundance conta comum canal de TV próprio, o festival tem portas abertas ao público(pelo menos os que pagam a mensalidade da TV por assinatura).Diariamente, um programa de meia-hora produzido em parceira coma revista Entertainment Weekly mostra entrevistas e cenasdos destaques do festival - além de reportagens sobre os eventosparalelos, como apresentações de músicos que fizeram trilhassonoras ou um workshop para cineastas que são descendentes deíndios.Na internet, o festival conta com um site próprio, quetraz material variado sobre o festival (ainda que não tãocompleto) e a plataforma batizada de Sundance Online FilmFestival. Mesmo para quem não tem interesse específico emcurtas-metragens deve prestar atenção na nova safra vinda domercado independente americano, uma área em que o acesso àtecnologia vem influenciando a estética e criando novasestruturas narrativas.O festival online é dividido nas categorias animação,assunto curto e novos formatos. Na animação já era de se esperaruma boa evolução impulsionada pelo acesso a programas decomputador cada vez mais sofisticados, mas a mistura de boasidéias com estética moderna traz uma nova dose de frescor aomercado. Não deixe de ver os filmes Kuntsbar, do PetrieLounge, que já andava fazendo sucesso na internet havia váriassemanas, e Bumble Beeing, que explora com bom-humor a teoriade que o bater de asas das borboletas pode influenciar ahistória.Na categoria de novos formatos, há projetos híbridos,como o Operation Siren, de Randy Fenton e Steve Morris, quemistura flash e animação fotográfica, mas é, na verdade, um jogointerativo de mistério que explora as possibilidades dainternet. O público pode dar notas a todos os filmes, que serãopremiados no final do evento.O mesmo site também tem a seleção de curtas-metragensque fazem parte do festival "de verdade". Entre os destaques,estão Ocularist, de Vance Malone, que usa uma estéticapós-MTV para mostrar o trabalho de um médico especializado eminstalar olhos de vidro; A Ninja Pays Half My Rent, deSteven Tsuchida, sobre um americano que resolve dividir oapartamento com um ninja; e Tim Tom, de Romain Segaud eChristel Pougeoise, um ótimo casamento da animação feita comdesenhos à lápis em bloquinhos com a edição de filmes emcomputador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.