Festival suíço premia "Narradores de Javé"

Argentina e Brasil foram os destaques do Festival de Cinema de Fribourg, na Suíça, cuja 17.ª edição terminou ontem. O filme Narradores de Javé recebeu o prêmio da Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica no festival de cinema de Fribourg, na Suíça.O principal troféu do festival, o Olhar de Ouro, foi para o argentino Histórias Mínimas, de Carlos Sorín. Outras duas produções argentinas levaram os prêmios de público (Lugares Comunes, de Adolfo Aristaráin) e o especial do júri (Caja Negra, de Luis Ortega)."Retrato inteligente" - Inédito no Brasil, Narrados de Javé tem a direção de Eliane Caffé (de Kenoma). Chegou ao evento suíço, após impressionar a platéria do Festival de Roterdã. Em Fribourg, foi lembrada por fazer um "inteligente retrato do desejo humano de criar mitos" e por "talentosas" performances e roteiro.O filme retrata uma pequena e pobre comunidade no interior Bahia. Nele, José Dumont (também de Kenoma) faz um funcionário do correio da pequena Javé. Trabalha na única agência da cidade, que está ameaçada de fechar pelo baixo movimento. Para não perder o emprego, o carteiro começa a escrever ele próprio uma série de cartas, inventando histórias sobre os moradores de Javé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.