Festival no Recife recebe bem o longa "Contra Todos"

Contra Todos, do paulistano Roberto Moreira, foi bem recebido pela platéia que, mais uma vez, lotou o Teatro Guararapes para o 8 Cine PE - Festival do Audiovisual. O filme - o segundo longa-metragem concorrente -, apresentado na noite de sexta-feira, descreve um drama familiar na periferia paulistana.Não foi uma ovação. O filme é surpreendente demais para provocar esse tipo de reação unânime no público. Mas as pessoas presentes, depois de um momento de surpresa, aplaudiram bem. "Fiquei muito satisfeito com a reação do público; acho que as pessoas entenderam a proposta do filme", disse Moreira.O longa apresenta uma proposta inovadora de filmagem. Com imagens captadas em vídeo (e depois transpostas para película), permitiu muita improvisação por parte dos atores. Eles não conheciam o roteiro todo, apenas parte do que iriam representar durante o dia.Assim, as soluções foram sendo encontradas ao longo da filmagem, o que empresta ao resultado final uma grande naturalidade e frescor, como se os fatos narrados estivesse acontecendo no momento mesmo em que as imagens foram sendocaptadas.Contra Todos tem quatro personagens principais: Teodoro (Giulio Lopes), sua mulher, Cláudia (Leona Cavalli), a filha do primeiro casamento de Teodoro, Soninha (Silvia Lourenço), e Waldomiro (Ailton Graça), o "sócio" de Teodoro. São quatro personagens que tentam de alguma forma escapar às amarras do cotidiano e encontrar nova vida, mas suas existências estão mais determinadas pelas condições sociais do que supõem.Essa história familiar agrega ainda elementos como conflitos sociais, violência, sexo e criminalidade, num resultado explosivo, que dará o que falar quando o filme entrar em cartaz. Montado (por Mirella Martinelli) em ritmo vertiginoso, surge já como um dos favoritos para vencer o festival - isto é, se o júri apostar em propostas mais radicais e inovadoras.O 8 Cine PE prossegue nesta noite de sábado com a exibição de mais dois concorrentes: Como Fazer um Filme de Amor, do também estreante José Roberto Torero, e Mensageiras da Luz, Parteiras da Amazônia, de Evaldo Mocarzel, o único documentário que concorre aos prêmios na categoria longa-metragem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.