Festival mexicano exibirá filmes proibidos

No Festival Internacional Cervantino, que se celebra anualmente em Guanajuato - centro do México - serão apresentadas quinze películas censuradas em diferentes partes do mundo. "Las tijeras ante la política y el sexo", é o título da mostra que, baseada em temas eróticos e políticos, apresentará filmes que transgrediram os cânones do tempo em que foram produzidos e, por isso, geraram problemas aos seus realizadores. A 28ª edição do Festival Internacional de Cervantino será realizada de 7 a 21 de outubro. No programa, filmes alemães, canadenses, chineses, espanhóis, norte-americanos, franceses, japoneses, iranianos, italianos, mexicanos e iugoslavos. Destaque para El Diputado, do diretor espanhol Eloy de la Iglesia. Um filme que narra a história de um legislador homossexual assassinado pelo conservadorismo reinante. O cineasta chinês Zhang Yimou, considerado uma "erva daninha" pelo partido Comunista de seu país, estará presente com Viver, um relato das desventuras de uma família num período de tempo que abarca desde a invasão japonesa até a Revolução Cultural liderada por Mao Tse Tung. Outros filmes relevante são O Judeu Suss, proibido na Alemanha há 60 anos em função de seu conteúdo abertamente anti-semita e o mexicano La Mancha de Sangre, que na década de 40 ocasionou grande escândalo no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.