Festival leva curtas premiados a São Paulo

Obras assinadas por David Cronenberg, Nicolas Roeg, Hal Hartley e Bob Rafelson, os premiados dos festivais de Cannes, Veneza, Berlim e Clermont Ferrand, retrospectivas de Agnès Varda e Maya Deren, uma homenagem à rainha do cartum, Betty Boop. O 12.º Festival Internacional de Curtas, que começa nesta quinta-feira para convidados e sexta-feira para o público, é realmente o maior evento do gênero na América Latina. Até o dia 1.º, serão exibidos 309 filmes de 49 países. No total, serão 170 sessões em nove salas de São Paulo, com itinerâncias no Rio (de 1.º a 12 de setembro) e em Porto Alegre (de 4 a 6). Só o número de convidados impressiona: 215, sendo 35 do exterior.Nestes 12 anos, o festival não parou de crescer. É uma realização da Associação Cultural Kinoforum, que também promove o festival de documentários "É Tudo Verdade". A direção-geral é de Zita Carvalhosa e o patrocínio, da Petrobras, por meio do programa Petrobras Cinema. Zita não esconde a euforia: o acordo de três anos com a Petrobras lhe permite pensar o festival com uma continuidade que nunca havia sido possível. O evento deste ano ainda nem começou e o programador Francisco César Filho e ela já estão pensando nas atrações para 2002 e 2003. "É um conforto que não tínhamos antes", ela diz.Para este ano, eles resolveram colocar o festival sob o signo do olhar feminino, privilegiando a contribuição de diretoras. Agnès Varda fez um curta especialmente para a abertura: Varda Salue São Paulo, que passa amanhã. E vão exibir os curtas que jovens de comunidades menos favorecidas de São Paulo fizeram com tecnologia digital, a partir das oficinas promovidas pela Kinoforum. Haverá uma oficina no Centro Cultural São Paulo, durante a realização do evento. Prepare-se: você vai ter de desdobrar-se se quiser assistir a boa parte, senão a toda a oferta do 12.º festival. Vamos ao filé: um dos mais polêmicos autores da atualidade, o canadense David Cronenberg, faz uma rara incursão pelo curta em Câmera. O filme de 6 minutos foi feito para integrar as comemorações dos 25 anos do Festival de Toronto, em 2000. Três vencedores de Cannes integram a programação: Bolinhos de Feijão, do americano David Greenspan, ganhou a Palma de Ouro do curta deste ano; Sombras, do filipino Raymond Red, foi o vencedor do ano passado: e Garotinha do Papai, do escocês Irvine Allan, ganhou o prêmio especial do júri, também este ano.Da Austrália vem Telefonema para Genevieve Snow, de Peter Long, que recebeu o Leão de Ouro do curta no Festival de Veneza do ano passado. Long, só para situá-lo, é autor da elogiada cinebiografia de Jane Campion, diretora de O Piano. Jungle Jazz: Inimigo Público Número 1, do americano Franz Fitzpatrick, ganhou o Urso de Prata em Berlim, este ano. O de ouro ficou com o deslumbrante Alma Negra, animação da canadense Martine Chartrand sobre escravismo, negritude e música. O curta grego Ouça..., de Katerina Filoutou, venceu a competição internacional no Festival de Clermont Ferrand, considerado o evento mais importante dedicado ao curta, em todo o mundo.Uma atração muito especial é Helicóptero, do americano Ari Gold, considerado o melhor curta no Festival de Sundance deste ano. E há a série dos Contos da Sedução, com os curtas de Susan Seidelman, Bob Rafelson, Rosa Von Praunheim, Jos Stelling, Nicolas Roeg e Hal Hartley. A numerosa representação brasileira vai trazer, entre outros, Palíndromo, de Phillipe Barcinski, superpremiado no recente Festival de Gramado; A Canga, de Marcus Vilar, vencedor de alguns Kikitos (e, antes disso, do Cine Ceará); Macabéia, de Erly Vieira e Virgínia Jorge, também premiado em Gramado; Françoise, Kikito de melhor atriz para Débora Falabella; e O Sanduíche, de Jorge Furtado, consagrado no País e no exterior. São atrações para ninguém botar defeito e que vão movimentar a cidade nos próximos dias.12.º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo. Locais: Centro Cultural São Paulo - Sala Lima Barreto. Rua Vergueiro, 1.000, tel. (11) 3277-3611. CineSesc. Rua Augusta, 2.075, tel. (11) 3022-0213. Cinusp. Rua do Anfiteatro, 181, Favo 4, Colméia, Cidade Universitária, tel. (11) 3818-3540. Espaço Unibanco 4. Rua Augusta, 1.470, tel. (11) 288-6780. Faap. Rua Alagoas, 304, tel. (11) 3662-1662. MIS. Avenida Europa, 158, tel. (11) 3062-9197. MAM - Museu de Arte Moderna. Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n.º, portão 3 do Parque do Ibirapuera, tel. (11) 5549-9688. Museu Lasar Segall. Rua Berta, 111, tel. (11) 5574-7322. Patrocínio: Petrobras. Amanhã, abertura para convidados

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.