Festival É Tudo Verdade comemora dez anos

O festival É Tudo Verdade, que será realizado de 29 de março a 10 de abril, completa dez anos com recorde de inscritos: 700 no total. Destes, 200 foram produções nacionais. Para comemorar, o crítico e criador do maior festival de documentários da América Latina, Amir Labaki, anunciou a encenação de É Tudo Verdade, de Jason Sherman, sobre o filme homônimo de Orson Welles, no dia 6 de abril, no CCBB. "O teatro vem somar. Encontrei o livro desta peça numa livraria em Nova York em 1998. Desde então, espero esta oportunidade." Para lembrar o que de melhor passou pelo festival nestes anos, a retrospectiva 10! exibe os 17 vencedores de todas as edições. É uma boa saída, já que, em nove edições do festival, apenas três dos médias ou longas-metragens premiados entraram em cartaz no Brasil - todos eles, aliás, brasileiros: O Velho, a História de Luiz Carlos Prestes (de Toni Ventura, vencedor da mostra nacional em 1997); Nós Que Aqui Estamos Por Vós Esperamos (dono do prêmio da competição internacional em 1999); e O Prisioneiro da Grade de Ferro (de Paulo Sacramento, ganhador em 2003 tanto na mostra internacional como na brasileira). Férias Prolongadas (Holanda, Johan van der Keusken), Noel Field - A Lenda de um Espião (Suíça, Werner Schweizer), O Sacrifício (Suécia, Erik Gandini e Tarik Saleh), Os Sem-Visão (Miroslav Janek) e Agosto - Um Momento Antes da Explosão (Israel, Avi Mograbi) são as outras produções internacionais que ganharão repeteco.Outra novidade é a seção Horizonte, que trará a vanguarda do documentário, apontando novos temas e linguagens. A competição internacional terá 14 filmes, como Lisboetas, de Sérge Tréfaut, e O Cérebro de Bush, de Joseph Mealey e Michael Shoob. Já a nacional conta com sete longas e médias inéditos, como Moacir Arte Bruta, de Walter Carvalho. A sessão de abertura, só para convidados, no dia 29, em São Paulo, terá Por Que Lutamos, de Eugene Jarecki, premiado em Sundance. O festival também terá mostras dedicadas a dois documentaristas renomados - o norte-americano Robert Drew e o argentino Fernando Birri.Ao todo, 133 produções serão exibidas entre 30 de março e 10 abril em sete salas. Fundado e dirigido pelo crítico Amir Labaki, É Tudo Verdade recebeu 25 mil espectadores na última edição - seu público recorde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.