Rai Cinema
Rai Cinema

Festival de Veneza terá uma das edições mais atípicas de sua história por causa da pandemia

De 2 a 12 de setembro, o mítico Lido de Veneza se tornará um ponto de referência para o mundo da cultura e do cinema, com protocolo que inclui máscaras, testes e distanciamento

Kelly Velasquez, AFP

21 de agosto de 2020 | 13h42

O Festival de Cinema de Veneza, o mais antigo do mundo, se prepara para inaugurar, em 2 de setembro, uma das edições mais atípicas de sua longa história, com um protocolo que inclui máscaras, testes e distanciamento devido à preocupação de um novo surto de coronavírus.

Durante dez dias, até 12 de setembro, o mítico Lido de Veneza se tornará um ponto de referência para o mundo da cultura e do cinema ao aceitar o desafio de celebrar o primeiro grande evento internacional em meio à pandemia.

Para isso, os organizadores e o diretor, Alberto Barbera, definiram um protocolo para receber tanto as estrelas quanto os diretores, entre eles personalidades como a atriz australiana Cate Blanchet, presidente do júri.

O filme de abertura da 77ª edição do Festival de Veneza será Lacci , dirigido por Daniele Luchetti, com elenco formado por Alba Rohrwacher, Luigi Lo Cascio, Laura Morante, Silvio Orlando, Giovanna Mezzogiorno, Adriano Giannini, Linda Caridi.

Evitar contágios

As medidas deverão evitar os contágios em um contexto preocupante devido ao fato de Veneza estar registrando um aumento de novos casos.

Para acessar o Lido de Veneza, às margens do mar Adriático, onde ocorre todo o festival, foram instaladas "nove entradas com 'scanners' térmicos", diz o protocolo.

Todos os hóspedes procedentes de países que não são da União Europeia deverão fazer um teste três dias antes de viajar e outros testes durante todos os dias de sua permanência em Veneza por conta do festival. Em caso de terem resultados positivos, serão isolados.

Os convidados, entre eles as delegações dos filmes, as estrelas e diretores que os acompanham e que não pertencem aos países do Espaço Schengen, deverão fazer a segunda e terceira prova, usar máscara e manter a distância social além de evitar atividades relacionadas ao turismo.

Todas as salas de cinema e os meios de transporte local serão desinfetados regularmente. 

O número de cadeiras nas salas de projeção será reduzido, assim como na sala de imprensa e nas coletivas de imprensa.

"As salas ocupadas serão alternadas com as vazias", destaca a organização.

 

Tapete vermelho sem público

O lendário desfile das estrelas pelo tapete vermelho até o Palácio do Cinema, que também atrai fãs, será eliminado para o público. Apenas os fotógrafos poderão comparecer, os quais deverão manter a devida distância entre si.

As máscaras serão obrigatórias em todas as áreas externas. Haverá alcóol em gel à disposição do público, nas salas de projeção, nos acessos e corredores, em todos os pontos de reunião", diz o protocolo.

Tanto o público quanto os repórteres credenciados deverão reservar sua vaga com antecipação online, na página www.labiennale.org


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.