Festival de Veneza anuncia seleção 2002

A organização do Festival de Veneza anunciou hoje a seleção de filmes de sua 59.ª edição, que acontece de 29 de agosto a 8 de setembro. Os brasileiros ficaram de fora das duas mostras competitivas, a principal, Veneza 59, e a dedicada ao cinema mais experimental, Contracorrente. Rocha que Voa, filme sobre o exílio de Glauber Rocha em Cuba, feito por seu filho, Erik Rocha, representa o país na mostra paralela Novos Territórios.Frida, dirigido Julie Taymor, com Salma Hayek no papel da pintora mexicana Frida Kahlo, abrirá o festival. "É um filme que lança uma ponte sobre a vocação artística de Veneza", explicou Moritz de Hadeln, ex-diretor do Festival de Berlim que este ano ano assumiu o evento em Veneza. "E, acima de tudo, é um filme preciosíssimo", completou.A produção está na disputa principal do festival, que também conta com os novos filmes de Sam Mendes (Road to Perdition), Stephen Frears (Dirty Pretty Things), Stephen Daldry (The Hours) e Takeshi Kitano (Dolls), entre outros.Hollywood e o cinema europeu dominam a disputa pelo cobiçado Leão de Ouro (confira a relação completa). Dos outros continentes, apenas Taiwan (The Best of Times, de Chang Tso-Chi), Austrália (The Tracker, de Rolf de Heer), Coréia do Sul (Oasis, de Lee Chang-Dong), e Japão (com o filme de Kitano) tiveram filmes incluídos na mostra principal.De Hadeln lamentou a escassez de filmes latino-americanos este ano, em especial do cinema argentino, fato que ele relacionou à recente crise econômica. Das 143 produções que compõem a seleção oficial do festival (77 longas, 46 médias ou curtas e 20 documentários), os destaques latinos são poucos. Além de Rocha que Voa, aparecem La Virgen de La Lujuria, do mexicano Arturo Ripstein, Rosa La China, da chilena Valeria Sarmiento, Aparte, do uruguaio Mario Handler e algumas produções de média e curta-metragem.Em compensação, o Festival de Veneza sediará a uma premiação inédita dedicada ao cinema latino-americano. Com o objetivo de desenvolver e apoiar a produção na região, um prêmio idealizado por Gillo Pontecorvo será entregue em 7 de setembro ao melhor filme e ao melhor cineasta estreante. Depois de Veneza, será a vez dos outros dois principais festivais de cinema do mundo, Cannes e Berlim, repetir a premiação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.