Festival de Roma abre com renovação do gênero 'noir'

A mais aguardada estréia é 'Le deuxième souffle', filme baseado no livro homônimo de José Giovanni

ANSA

07 Outubro 2011 | 12h14

"Há mais de 20 anos, eu sonhava em adaptar este livro ao cinema", revela Alain Corneau, talentoso cineasta francês, a quem foi incumbida a tarefa de abrir a segunda edição do Festival Internacional de Cinema de Roma, no próximo 18 de outubro.   Sobre o tapete vermelho do Auditório de Renzo Piano, são aguardados o ator francês Daniel Auteuil e a loiríssima Monica Bellucci, que farão companhia a Alain Corneau na estréia européia de Le deuxième souffle (O segundo sopro), baseado no livro homônimo de José Giovanni.   Esperado como um verdadeiro colossal do gênero "noir", o longa-metragem ambientado na França dos anos 60, entre Paris e Marselha, é um remake atualizado do filme original de Jean-Pierre Melville, gravado em 1966.   "Há mais de 20 anos, eu sonhava em adaptar este livro ao cinema, e fico triste que meu amigo José Giovanni (falecido há três anos) não vai ver meu trabalho. Escrevi o roteiro seguindo seu livro passo a passo, devolvi à protagonista Manouche (interpretada por Monica Bellucci) um papel de primeiro plano", explicou Corneau.   "Levei em conta a versão antiga do filme, dirigida, aliás, por um dos cineastas que mais estimo, mas quis reler a história inteira com os olhos e a estética de hoje, levando em conta também o cinema oriental destes últimos anos, que inovou os códigos do gênero noir", acrescenta o diretor.   O filme narra a guerra solitária do gângster Gu Minda (interpretado por Daniel Auteuil), que sai da prisão e tenta fugir da França com a sua mulher Manouche, mas precisa aceitar um último golpe para arrumar dinheiro. Quando percebe que caiu numa armadilha mortal da polícia, o gângster passa a lutar por sua própria honra, e Manouche será fundamental para seu sucesso.   "Não poderia ter feito esse filme se não tivesse conseguido a disponibilidade dos atores que tinha em mente. Foi também por isso que esperei tanto tempo, mas essa é a conclusão ideal de um percurso iniciado com meus primeiros filmes, Police Python (1976) e Série Noire (1979)", explica, justificando a escolha dos atores.   "Daniel Auteuil sempre foi, para mim, o protagonista ideal, mas também foram importantes Jacques Dutronc, Michel Blanc, Daniel Duval, Eric Cantona. Quanto a Mônica Bellucci, foi uma autêntica revelação e acho que trouxe uma contribuição decisiva em seu papel", estimou.   Le deuxième souffle foi filmado em grande parte durante a noite, nos lugares verdadeiros da história. Deve estrear na França em novembro, e é aguardado como o "filme definitivo" de um gênero tão famoso no país, o "noir" (negro), que ganhou renome internacional desde os princípios da história do cinema. Agora, o gênero "noir" ganha novos ares com Alain Corneau.

Mais conteúdo sobre:
Roma gênero 'noir' Festival de cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.