Fábio Vendrame/ Estadão
Fábio Vendrame/ Estadão

Festival de Gramado terá transmissão de filmes pelo Canal Brasil e cerimônia de premiação online

48ª edição do tradicional festival de cinema começa no dia 18 de setembro; confira a lista de filmes selecionados

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2020 | 14h21

Transmissão dos filmes concorrentes pelo Canal Brasil, debates e cerimônia de premiação online - tais são as novidades da 48ª edição do tradicional Festival de Cinema de Gramado. Forçado pela pandemia, foi a fórmula encontrada pelo evento para não cancelar a edição de 2020. E, aproveitando a ocasião, “reinventar-se”, que é a palavra da moda. No caso, significa tornar disponível em todo território nacional um festival de cinema que era privativo daqueles que se deslocavam à bucólica serra gaúcha nas edições normais.

Na coletiva de imprensa, também realizada online, foram anunciados os concorrentes mais aguardados - os longas em competição, nacionais e estrangeiros. Os curtas-metragens nacionais  e os curtas gaúchos já haviam sido divulgados. Serão 19 curtas gaúchos, que competem pelo troféu Assembleia Legislativa e disponibilizado pelo streaming do Canal Brasil. Além deles, há a competição nacional, com 14 curtas nacionais, oriundos de oito Estados diferentes da federação. “O curioso é que alguns já trazem o tema da pandemia”, disse o curador Marcos Santuário, presente à coletiva de imprensa.



Para os longas-metragens, desde de 1992 Gramado adota a fórmula mista, mesclando produções brasileiras e estrangeiras. A seleção de longas foi escolhida por Santuário, pelo apresentador Pedro Bial e a atriz argentina Soledad Villamil. É a nova trinca de curadores de Gramado.

A lista completa dos homenageados deste ano também foi divulgada: Troféu Oscarito: Marco Nanini. Troféu Eduardo Abelin: Laís Bodanzky. Kikito de cristal: César Troncoso. Troféu Cidade de Gramado: Denise Fraga.

Marcos Santuário destacou que todos os concorrentes são inéditos no Brasil. Para chegar à lista final dos selecionados, 146 longas brasileiros e 93 estrangeiros foram examinados.

O curador falou sobre alguns dos filmes presentes. A começar pelo novo longa do mitológico diretor Ruy Guerra, Aos Pedaços. Guerra, para quem não lembra, é autor de Os Fuzis, um dos clássicos do Cinema Novo e um dos mais inventivos cineastas do País.

Santuário destacou também a presença feminina na seleção. “Cibele Amaral, diretora de Brasília, faz um drama muito forte e feminino, falando sobre normalidade e limites comportamentais”, disse.

Falou também da presença do pernambucano Camilo Cavalcante, que, com King Kong em Assunción, “traz um road movie muito interessante entre  Paraguai Bolívia e Brasil para contar a história de um assassino de aluguel em busca de sua filha”.

Santuário ainda chamou a atenção para dois documentários presentes na competição de longas brasileiros, O Samba é primo do Jazz e Me Chama que eu Vou, ambos tendo como personagens ícones do universo musical brasileiro como Alcione e Sidney Magal. “São bastante intensos”, disse.

O festival começa dia 18 de setembro. A cerimônia de premiação, 26 de setembro, também será transmitida ao vivo pelo Canal Brasil e - novidade deste ano - pelo canal 500 da Claro.

 

Longas-metragens brasileiros (LMB) selecionados:


Aos pedaços – Rio de Janeiro

92’ – Drama ficção experimental

Direção: Ruy Guerra


King Kong em Asunción – Pernambuco

90' – Ficção

Direção: Camilo Cavalcante


Me chama que eu vou – São Paulo

70’10 – Documentário

Direção: Joana Mariani


O Samba é primo do Jazz – Rio de Janeiro

70’06? – Documentário

Direção: Angela Zoé


Por que você não chora? – Distrito Federal

98' – Ficção / Drama

Direção: Cibele Amaral


Todos os mortos – São Paulo

120’ – Drama

Direção: Caetano Gotardo & Marco Dutra


Um animal amarelo – Rio de Janeiro

115’ – Ficção

Direção: Felipe Bragança



 

Longas-metragens estrangeiros (LME) selecionados:


Dias de Inverno – México

90’ – Ficção

Direção: Jaiziel Hernández


El Gran Viaje al País Pequeño – Uruguai

105’47” – Documentário

Direção: Mariana Viñoles


El Silencio del Cazador – Argentina

103’20” – Drama / thriller

Diretor:  Martin Desalvo


La frontera – Colombia

89’36” – Drama social

Direção: David David


Los Fuertes – Chile

98’ – Drama, Romance, LGBT

Direção: Omar Zúñiga


Matar a un Muerto – Paraguai

87’ – Drama

Direção: Hugo Giménez


Tu me manques – Bolívia

105’ – Drama

Direção: Rodrigo Bellott


 

Curtas em competição:

Atordoado, Eu Permaneço Atento - Rio de Janeiro

15’ - Documentário

Direção: Henrique Amud & Lucas H. Rossi dos Santos


Blackout - Rio de Janeiro

18’51’’ - Ficção

Direção: Rossandra Leone


Dominique - Rio de Janeiro

19’ - Documentário

Direção: Tatiana Issa, Guto Barra


Extratos - São Paulo

8’ - Documentário

Direção: Sinai Sganzerla


Inabitável - Pernambuco

19’ - Ficção

Direção: Matheus Farias, Enock Carvalho


Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé - Rio de Janeiro

14’24’’ - Documentário experimental

Direção: Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra


O Barco e o Rio - Amazonas

17’12’’ - Ficção

Direção: Bernardo Ale Abinader


4 Bilhões de Infinitos - Minas Gerais

15’ - Ficção

Direção: Marco Antonio Pereira


Receita de Caranguejo - São Paulo

19’45’’- Drama

Direção: Issis Valenzuela


Remoinho - Paraíba

12’27” - Ficção

Direção: Tiago A. Neves


Subsolo - Rio Grande do Sul

8’ - Animação / Comédia

Direção: Erica Maradona e Otto Guerra


Trincheira - Alagoas

14’40” - Ficção

Direção: Paulo Silver


Você tem olhos tristes - São Paulo

17’50’’- Ficção

Direção: Diogo Leite


Wander Vi - Distrito Federal

19’56” - Documentário

Direção: Augusto Borges e Nathalya Brum

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.