Festival de Goiás premia filme sobre consumismo

A preocupação com o consumo desenfreado, que marca especialmenteos países ricos, sensibilizou o juri do 6.° Festival Internacional deCinema e Vídeo Ambiental (Fica), que terminou hoje, na cidade de Goiás,distante 128 km de Goiânia. Este é o tema do filme Surplus, dirigidopelo sueco Erik Gandini, escolhido como a melhor obra do festival. Alémde um troféu, o cineasta, que não estava presente, vai receber um prêmiode R$ 50 mil. "O tema está ausente na grande mídia, apesar de sua fundamentalimportância", justificou o jornalista André Trigueiro que, comorepresentante do juri, recebeu o prêmio em nome do cineasta. No ritmoacelerado de um videoclipe, em que promove brincadeiras com imagens depolíticos famosos como George W. Bush e Fidel Castro, Surplus mostracomo 1/5 da população mundial consome 4/5 dos recursos naturais doplaneta e produz 86% de todo o desperdício. O filme foi também escolhidocomo o melhor na votação da imprensa.O melhor longa-metragem escolhido foi Life Running out of Control, daAlemanha, dirigido por Bertram Verhaag e Gabriele Kröber, sobre o perigoque pode representar a tecnologia genética. "Trata-se de uma área deextrema importância para o futuro da humanidade, mas é necessário cuidarpara que as grandes empresas não dominem toda a tecnologia em seubenefício", comentou Gabriele.Já o trabalho escravo a que são submetidos os brasileiros na GuianaFrancesa garantiu a La Loi de la Jungle, de Philippe Lafaix, o prêmio demelhor média-metragem do festival. Figura que se tornou popular nacidade por conta de sua descontração, Lafaix sentiu-se duplamentepremiado. "No meu país, não tenho espaço para divulgar esse trabalho,pois a França prefere se calar ao que acontece em seu departamento. Daía importância do retorno que recebi aqui", agradeceu.100% Cotton - Made in India, de Inge Altemeier, foi escolhido comomelhor curta-metragem do Fica pela competência com que aborda aproblemática dos agrotóxicos nas culturas de algodão na Índia. E, apesarde premiado com o Oscar de melhor curta-metragem deste ano, Chernobyl Heart, de Maryann DeLeo, não recebeu nenhuma premiação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.