Festival de cinema leva índios brasileiros ao Ártico

O Festival de Cinema Sami de Kautokeino, na Noruega, deste ano está causando sensação por apresentar sessões de filmes de terror e suspense em uma tela de gelo, no meio da tundra norueguesa. E entre as atrações da mostra estão três filmes de índios brasileiros. Além dos três filmes apresentados de madrugada no drive-in gelado, a 450 quilômetros do círculo polar ártico, estão outras 80 fitas selecionadas para a mostra do povo sami - que este ano foi totalmente dedicada ao cinema indígena. Entre obras de índios da Austrália, Alasca, Nova Zelândia, Estados Unidos, Peru e México, estão os três vídeodocumentários dirigidos por índios brasileiros.Na segunda-feira, a mostra apresentou Wai?á Rini, O Poder do Sonho, do xavante Divino Tserewahú, em que ele revela, em uma conversa com o seu pai, detalhes do rito de iniciação dos xavantes. As três fitas fazem parte da produção da ONG Vídeo nas Aldeias, que ensina técnicas de filmagem e edição aos índios - com financiamento da Noruega -, e já conta com cerca de dez filmes dirigidos por índios, além de outros 40 feitos com os indígenas.Na próxima edição do Festiva Sami de Cinema, no ano que vem, a participação brasileira está garantida. "Eu tentei trazê-los neste ano, mas eles já tinham um compromisso no Rio de Janeiro. Eu realmente quero trazê-los no ano que vem", afirmou a organizadora Silja Somby. Vincent Carelli, um dos diretores do Vídeo nas Aldeias, lamentou a coincidência de datas e se disse empolgado com uma possível participação na edição de 2005. "Temos quatro filmes atualmente em produção", contou Carelli à BBC Brasil. O Festival Sami de Cinema do ano que vem deve acontecer na mesma época do ano.

Agencia Estado,

07 de abril de 2004 | 12h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.