Festival de Cinema de Berlim reduz duração da competição

Festival de Cinema de Berlim reduz duração da competição

Agora serão seis dias, com o restante dedicado à reprise dos filmes

Estadão, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2022 | 12h16

O Festival de Cinema de Berlim anunciou, nesta quarta-feira, 12, que sua próxima edição terá uma duração reduzida - previsto anteriormente para o período entre 10 e 20 de fevereiro deste ano, agora será de 10 a 16. Os demais quatro dias serão ocupados por reprises dos filmes participantes.

A cerimônia de premiação acontecerá agora no dia 16 de fevereiro. Também os cinemas utilizados pelo festival só poderão ter no máximo 50% de sua capacidade ocupada.

O tradicional tapete vermelho será mantido, mas com capacidade limitada, assim como as coletivas de imprensa e as sessões de fotos.

Máscaras serão exigidas nas salas de exibição e o público precisará comprovar a vacinação completa contra a covid ou a recuperação completa de uma infecção recente.

"Estamos cientes dos desafios colocados pelo curso imprevisível da pandemia. Ao mesmo tempo, acreditamos que a cultura desempenha um papel tão fundamental na sociedade que não queremos perder de vista esse aspecto", afirmaram os organizadores do festival, Mariette Rissenbeek e Carlo Chatrian, em um comunicado.

"Com nosso novo conceito, estamos focando totalmente na experiência cinematográfica e reduzindo a formação de grupos. O principal é dar ao público e às equipes de filmagem uma experiência coletiva de cinema com esse conceito alterado, reduzindo o número de encontros presenciais em conformidade com os regulamentos", continuaram.

O presidente do júri deste ano será o cineasta M. Night Shyamalan e o filme de abertura será Peter Von Kant, de François Ozon, estrelado por Isabelle Adjani.

Por conta do aumento do contágio das variantes da covid, o Grammy adiou sua premiação para data ainda não definida e o Festival de Cinema de Sundance anunciou que novamente será online.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.