Festival de Brasília tem primeiro favorito

Já surgiu o primeiro favorito do Festival de Brasília - pelo menos no gosto popular. A história de guerrilheiros Cabra Cega, de Toni Venturi, foi muito aplaudida pelo público que lotava o Cine Brasília na noite de quinta-feira. Reação compreensível, pois se trata mesmo de um belo e generoso filme, que atingiu em cheio uma platéia em sua maioria formada por jovens. As opiniões não foram unânimes. Se o público deu mostras de ter adorado, vários críticos fizeram restrições na saída da sessão. Censuram ao filme a falta de aprofundamento na história política do período e falhas na dramaturgia. Cabra Cega é, declaradamente, uma homenagem aos jovens que, nos anos 70, lutaram contra a ditadura militar e sacrificaram suas vidas por uma causa perdida. O filme começa com uma ambientação de cenas de época, imagens de Guevara morto, as grandes passeatas dos anos 60, a morte do estudante Edson Luís, comícios relâmpagos, quebra-quebras no centro da cidade. Em seguida, a trama pessoal. Leonardo Medeiros faz Tiago, o guerrilheiro ferido em ação que se esconde no apartamento do simpatizante Pedro (Michel Bercovitch). Débora Duboc é Rosa, a encarregada de cuidar dos ferimentos dele e fazer contato com o mundo exterior. Os filmes de hoje à noite no Cine Brasília são o longa-metragem Cascalho, de Tuna Espinheira, e os curtas Messalina, de Cristiane Oliveira, e O Último Raio de Sol, de Bruno Torres.

Agencia Estado,

27 de novembro de 2004 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.