Festival de Berlim terá Vargas Llosa e Altman

Político, variado, divertido e comglamour: este é o objetivo do diretor do Festival de Cinema deBerlim, Dieter Kosslick, para a 56.ª edição da premiação, com 19filmes na mostra competitiva e 360 produções em diversas mostras.Conteúdo político - Irã e The Road to Guantanamo, de MichaelWinterbottom -, veteranos - Claude Chabrol e Robert Altman -,estreantes - como o argentino Rodrigo Moreno -, mulheres famosas -na retrospectiva Estrelas dos 50 -, homens bonitos - GeorgeClooney - e um pouco de futebol, como deve ser antes da Copa doMundo da Alemanha.Kosslick promete tudo isto e algo mais em seu quinto ano à frentedo Festival de Berlim, que começa no próximo dia 9 com Snow Cake,de Marc Evans, e cuja entrega de prêmios será no dia 18. O diretor admite que não haverá um ponto temático forte, mas diversidade. Esta característica guiou a seleção das produções da seção oficial, formada pelos 19 filmes concorrentes e outros sete em caráter de exibição.Esse foi o mesmo critério seguido nas outras mostras, como aPanorama - que abrirá com Direito de Família, do argentino DanielBurman - e a Festival de Berlim Especial, em que haverá a estréiamundial de A Festa do Bode, de Luis Llosa, baseado no romance deMario Vargas Llosa.O júri, presidido pela britânica Charlotte Rampling, escolheráentre uma lista variada de concorrentes. Diplomaticamente, Kosslickafirma não ter um favorito, mas destaca a presença de dois filmesiranianos, após 30 anos de seca, e quatro alemães.Offside, do iraniano Jafar Panahis, começa a partir de umapartida entre o Barein e o Irã. Outro filme sobre a complexarealidade iraniana que será exibido em Berlim será Zemestan, deRafi Pitts. Com o filme de Winterbottom, Urso de Ouro 2002 com Inthis World, Kosslick pretende levar, embora virtualmente, os presosde Guantánamo a passarem sobre o tapete vermelho. O francês Claude Chabrol, com L´ivresse Du Pouvoir, apresentaráuma mulher dos sonhos atual: Isabelle Huppert, promotora noescândalo de corrupção da Elf. Outro veterano, Robert Altman, apresentará a comédia A PraireHome Companion, com Woody Harrelson e Meryl Streep, enquanto SydneyLumet revelará o grande ator que Vin Diesel tem dentro dele comFind me Guilty, sobre o mais longo julgamento nos Estados Unidoscontra a máfia. A força do cinema jovem será representada por Rodrigo Moreno, queestreará com El Custodio, e outros dois principiantes, adinamarquesa Pernille Fischer Christensen, com En Soap, e a bósniaJasmila Zbanic, com Grbanica.Um quinto dos filmes da mostra competitiva é formado pelopoderoso e variado cinema alemão. A principal dessas produções éElementarteilchen, filme de Oskar Roehlers baseado em um romancedo bem-sucedido Michel Houellebecq (As Partículas Elementares). Osanfitriões também apresentarão Réquiem, de Hans Christian Schmidt;Os Medíocres (Die Mediocren), de Matthias Glasner, e Mein Stern, de Valeska Grisebahc.Completam a lista da mostra competitiva o australiano NeilArmfield, com Candy; o italiano Michele Aprazido, com RomanzoCriminale; o austríaco Michael Glawogger, com Slumming; a chinesaIsabella, de Pang Ho-cheung; e o filme tailandês-coreanoInvisible Waves, de Pen-ek Ratanaruang. Os filmes que concorrem aos Ursos de Ouro são os que mais chamamatenção, mas não são tudo no Festival de Berlim. Alguns dos grandesatrativos estarão na mostra oficial, mas não na competitiva.Clooney aparecerá em Syriana, de Stephan Gaghan. Também serãoexibidos Capote, de Bennet Miller; The New World, de TerrenceMalick; The Science of Sleep, do francês Michel Gondry; e o chinêsWuji, de Chen Kaige. Antes da entrega dos Ursos, será exibido o mítico Pat Garret &Billy the Kid, de Sam Peckinpah. Pela primeira vez, a lista com osvencedores não será divulgada em entrevista coletiva ao meio-dia,mas ao vivo, para ganhar em expectativa, disse Kosslick, emboraisso não facilite o trabalho dos meios de comunicação. Nos 10 dias de Festival de Berlim, mais de 300 filmes serãoapresentados, em mostras como a Panorama e em retrospectivas. Tambémserão entregues dois Ursos de Ouro de Honra, um ao diretor polonêsAndrzej Wajda e outro ao ator britânico Ian McKellen. Outros homenageados serão Michael Ballhaus, que foi o câmerapreferido de Rainer Werner Fassbinder; Laurence Kardish, promotor docinema alemão nos EUA; e o diretor Jürgen Boettcher, representanteda dissidência da Alemanha Oriental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.