Festival de Berlim terá 'Tropa de Elite' e Rolling Stones

Edição roqueira do evento terá grandes astros da música e presença brasileira, com o filme de José Padilha

Efe,

08 Janeiro 2029 | 15h34

A 58ª edição da Festival de Cinema de Berlim começa no próximo dia 7 e terá presença brasileira. A produção Tropa de Elite, dirigida por José Padilha, concorre ao Urso de Ouro com outros 20 filmes de várias partes do mundo.   Veja também:    Lista completa dos filmes que estão na mostra competitiva do Festival de Berlim    O que chama mais atenção na versão 2008 do evento, no entanto, é a sua face roqueira. Os Rolling Stones abrirão o festival, que contará também com estrelas como Scarlett Johansson, Madonna e Penélope Cruz - sem deixar de lado o cinema político.   Após a apresentação dos Stones, será exibido o filme de abertura do Festival de Berlim, Shine a Light, documentário de Martin Scorsese sobre a banda de Mick Jagger, e que não faz parte da mostra competitiva.   Em seguida, também fora de competição, serão exibidos o documentário Patti Smith: Dream of Life, sobre a cantora Patti Smith, e a estréia de Madonna como diretora de cinema, no filme Filth and Wisdom, ambos incluídos na mostra Panorama.   O diretor do Festival de Berlim, Dieter Kosslick, disse que tanta atenção à música não ofuscará a essência do evento - a competição -, e afirmou ter "todos os componentes" para oferecer uma seleção do cinema atual, em todas as suas variantes. Kosslick escolheu o diretor grego Costa-Gavras para presidir o júri que escolherá os vencedores dos Ursos de Ouro e de Prata.   O diretor do lendário Z (1969) e os outros sete membros do júri definirão os vencedores entre 21 filmes, como o documentário S.O.P. Standard Operating Procedure, de Errol Morris, sobre as torturas a presos iraquianos na prisão de Abu Ghraib, e que é o primeiro filme do gênero a concorrer em Berlim.   Segundo Kosslick, a presença de Costa-Gavras não implica que o Urso de Ouro será concedido a um filme de cunho político, mas o diretor do festival deixou claro que o evento lançará seu foco em questões como as crianças-soldado e os meninos de rua.   Elegy, dirigido por Isabel Coixet e Lake Tahoe, do mexicano Fernando Eimbcke, também estão lutando pelos Ursos, sendo que este último foi considerado pelo diretor do festival como um expoente do cinema latino-americano "rompedor de padrões", assim como Tropa de Elite.   Além de S.O.P., Ballast, de Lance Hammer, Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson, e Gardens of the Night, de Damian Harris, são as outras produções americanas que fazem parte da mostra competitiva.   Entre os filmes europeus, estão os franceses I've Loved You So Long, de Philippe Claudel, com Kristin Scott Thomas; Julia, de Erick Zonca; e Lady Jane, de Robert Guédiguian, além da co-produção Reino Unido/Estados Unidos Happy-Go-Lucky, de Mike Leigh, e da italiana Caos calmo, de Antonello Grimaldi.   Ainda há o filme finlandês Black Ice, de Petri Kotwica, "um filme distante da imagem de finlandeses alcoolizados e deprimidos" do diretor Mika Kaurismäki, disse Kosslick. Já os anfitriões alemães terão dois candidatos, Heart of Fire, de Luigi Falorni, e Kirschblüten-Hanami, de Doris Dorrie.   Completam a lista o iraniano The Song of Sparrows, de Majid Majidi; Restless, do israelense Amos Kollek; Sparrow, do diretor de Hong Kong Johnnie To; o japonês Kabei - Our Mother, de Yoji Yamada; In Love We Trust, do chinês Wang Xiaoshuai; e o sul-coreano Night and Day, de Hong Sangsoo.   Boa parte do contingente de estrelas virá em filmes fora de concurso. Começando pelos Rolling Stones, na abertura do festival, até o encerramento, no dia 17, com Be Kind Rewind, de Michel Gondry, com Jack Black e Mia Farrow.   Scarlett Johansson estará acompanhada por Natalie Portman para apresentar The Other Boleyn Girl, de Justin Chadwick, enquanto ainda há dúvidas sobre a visita de Julia Roberts, à frente de Fireflies in the Garden, de Dennis Lee.   Segundo Kosslick, 18 participantes da seção oficial do festival de Berlim farão sua estréia mundial ou internacional, como também é "inovador" que em uma retrospectiva haja, paradoxalmente, um título novo.   Isso acontecerá na seleção dedicada ao diretor espanhol Luis Buñuel, com cerca de 40 filmes de todas as suas fases, além do documentário El Último Guión, de Javier Espada, apresentado pelo filho de Buñuel, Juan Luis, e pelo roteirista de alguns de seus filmes mais importantes, Jean-Claude Carrière.   O homenageado de 2008 do festival de Berlim será o diretor italiano Francesco Rosi, que receberá um Urso de Ouro pelo conjunto da obra.

Mais conteúdo sobre:
Festival de Cinema de Berlim

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.