Festival de Berlim terá foco na África

A edição deste ano do Festival de Cinema de Berlim vai oferecer uma programação variada que inclui 15 estréias mundiais, além de ter um olhar especial sobre a África, disseram os organizadores.A 55.ª Berlinale começa em 10 de fevereiro com o épico do diretor francês Regis Wargnier Man to Man, uma aventura estrelada por Joseph Fiennes e Kristin Scott Thomas, que mostra um grupo de antropólogos em busca das conexões entre os homens e os macacos nos anos 1970, na África do Sul. O programa oficial tem 26 filmes e inclui dois sobre o genocídio de 1994 em Ruanda: Sometimes in April, de Raoul Peck, e Hotel Ruanda, de Terry George, pelo qual o ator Don Cheadle foi indicado ao Oscar de melhor ator, por seu papel como um gerente de hotel que abriga refugiados após o assassinato de centenas de milhares da minoria Tutsis e dos moderados Hutus."Nosso foco este ano está na África. Não é novidade a Berlinale ser um festival político e haverá temas políticos este ano também", disse o diretor do festival, Dieter Kosslick.Também será exibida a adaptação da ópera Carmen de Bizet, passada ma Cidade do Capo. O filme, falado no idioma Xhosa, Carmen inKhayelitsha, foi dirigido por Mark Dornford-May e é estrelado por Pauline Malefane no papel principal.Além do foco na África, "nós teremos futebol, sexo e política", disse Kosslick. Em exibição fora da competição, estão os filmes Kinsey, de Bill Condon, sobre o pesquisador sexual norte-americano Alfred C. Kinsey, estrelado por Liam Neeson, liderando o foco do festival sobre a repressão sexual dos anos 1950 e 1960.Entre os filmes norte-americanos, estão Thumbsucker, de Mike Mills, com Keanu Reeves; The Life Aquatic with Steve Zissou, de Wes Anderso; e Heights, a estréia de Chris Terrio como diretor, com Glenn Close e Isabella Rossellini no elenco.A co-produção entre França e Holanda Paradise Now, de Hany Abu-Asad, segue 28 horas nas vidas de dois homens-bomba palestinos. Entre os filmes alemães, estão Sophie Scholl - Hope and Resistance, de Marc Rothemund, sobre os últimos dias de Shopie, executada, ao lado de seu irmão Hans em 1943 por serem contra o regime de Adolf Hitler.Um júri presidido por Roland Emmerich, o diretor de Independence Day e O Dia Depois de Amanhã, vai entregar o Leão de Ouro, prêmio principal do festival, em 19 de fevereiro, um dia antes do encerramento do evento.No ano passado, o prêmio foi para Contra a Parede (Gegen die Wand), do diretor alemão Fatih Akin, sobre uma jovem de origem turca e alemã que se casa com um homem que ela não ama para fugir de sua conservadora família muçulmana.O Festival de Cinema de Berlim abre o ciclo anual de festivais europeus. Entre as estrelas esperadas para a festa, estão Glenn Close, Keanu Reeves, Joseph Fiennes, Liam Neeson, Will Smith e Kevin Spacey.Enquanto a Berlinale, que acontece pouco antes da entrega do Oscar, em 27 de fevereiro, tem menos glamour que os festivais de Cannes e Veneza, os organizadores se orgulham de fazerem dela um festival mais acessível ao público. "Um festival como a Berlinale precisa de estrelas passando pelo tapete vermelho", disse Kosslick. Mas "nós realmente queremos ser o festival mais agradável e amigável do mundo".

Agencia Estado,

01 de fevereiro de 2005 | 13h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.