Festival de Berlim tenta afugentar crise com estrelas

Demi Moore, Michelle Pfeiffer e Kate Winslet estarão presentes; Padilha concorre com o documentário 'Garapa'

EFE

27 de janeiro de 2009 | 12h18

O Festival de Berlim abre sua 59.ª edição em 5 de fevereiro tentando espantar a crise com estrelas como Demi Moore, Michelle Pfeiffer e Kate Winslet, além de diretores consagrados como Bertrand Tavernier, Andrzej Wajda e o brasileiro José Padilha, vencedor do ano passado com Tropa de Elite. Veja também: Confira a lista dos filmes em competição no Festival de Berlim "Não há conversa nestes dias que não comece com a palavra crise, como se nós a tivéssemos provocado, quando foi coisa de 'quatro bandidos'", disse nesta terça-feira o diretor do festival, Dieter Kosslick, ao apresentar seu programa completo. "Em tempos de crise, nada como o cinema para seguir em frente, com bons filmes e até risos", acrescentou, estando estes últimos a cargo de Pantera Cor-de-Rosa 2 com Steve Martin, também fora da mostra de competição. Um total de 18 filmes competirá pelos Ursos, de In the Electric Mist, de Tavernier, com Tommy Lee Jones, a Tatarak, de Wajda, Cheri de Stephen Frears, com Pfeiffer, e Happy Tears de Mitchell Liechtenstein, com Demi Moore como protagonista. Vencedor do Urso de Ouro do ano passado, por Tropa de Elite, o cineasta brasileiro José Padilha participa desta edição na mostra não competitiva Panorama, com o documentário Garapa. Também fora de competição, destacam-se as produções dos EUA O Leitor, com Kate Winslet e Ralph Fiennes, Notorious, de George Tillmann, e A Vida Privada de Pippa Lee, de Rebecca Miller, com Keanu Reeves.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemafilmeFestival de Berlim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.