Caracteres Productions
Caracteres Productions

Festival de Berlim 2021: veja quais são os filmes que concorrem ao Urso de Ouro

O Festival de Berlim será realizado virtualmente em março para o mercado de cinema e imprensa e em junho para o público

Redação, EFE

11 de fevereiro de 2021 | 09h04

O diretor mexicano Alonso Ruizpalacios, o ator e diretor alemão Daniel Brühl e o sul-coreano Hong Sang-soo vão competir na seção oficial do Festival de Berlim que, nesta edição, vai adotar um formato virtual devido à pandemia. No total, vão concorrer ao troféu Urso de Ouro 15 filmes - em vez dos habituais 20 - e a lista foi apresentada na manhã desta quinta, 11, pelos dois codiretores, o italiano Carlo Chatrian e a holandesa Mariette Rissenbeek.

O Festival de Berlim 2021 ocorrerá de 1º a 5 de março, restrita ao mercado de cinema e imprensa, que será seguida em junho (de 9 a 20) por uma versão aberta ao público.

O alemão Nebenan marca a estreia na direção de Brühl, que vai disputar ao lado de Una Película de Policías, de Ruizpalacios, e Introdução, de Sang-soo. Outros competidores são o francês Xavier Beauvois e os alemães Dominik Graf, Maria Schrader e Maria Speth. O Irã, país que no ano passado conquistou o ouro com The is no Evil, de Mohammad Rasoulof, vai concorrer com Ballad of a White Cow, uma coprodução com a França dirigida por Behtash Sanaeeha e Maryam Moghaddam.

O cinema japonês será representado por Wheel of Fortune, de Ryusuke Hamaguchi, enquanto a Romênia vai disputar com Bad Luck Banging or Loony Porn, de Radu Jude.

Ganha destaque a presença francesa, pois, para além de Albatros, de Beauvois, Petite Maman, de Celine Scianma, e a coprodução com o Líbano Memory Box, de Joana Hadjithomas e Khalil Joreige, também vão concorrer. "Buscamos um equilíbrio entre 'novos nomes e talentos conhecidos'", explicou Chatrian.

“Será uma Berlinale logicamente diferente”, movida pelo interesse de dar “uma mensagem clara de impulso ao setor”, completou Rissenbeek, em mensagem gravada.

O júri será composto por seis diretores que já conquistaram o Urso de Ouro nas Berlinales anteriores: junto com o iraniano Mohammad Rasoulof, premiado em 2020 por There Is No Evil; o israelense Nadav Lapid (Sinônimos, 2019); a romena Adina Pintilie (Não Me Toque, 2018); a húngara Ildikó Enyedi (Corpo e Alma, 2017); o italiano Gianfranco Rosi (Fogo ao Mar, 2016) e a bósnia Jasmila Žbanic (Em Segredo, 2006).

Neste segmento virtual, no próximo mês de março, serão anunciados os vencedores, aguardando a realização do festival em junho em formato aberto ao público

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.