Vianney Le Caer/Invision/AP
Vianney Le Caer/Invision/AP

Festas no Festival de Cannes serão mais seletas por causa da covid

Evento presencial que começa nesta terça, 6, terá confraternizações ao ar livre e com menos convidados

Jean-François Guyot e Claudine Renaud, AFP

05 de julho de 2021 | 07h50

Totalmente impactadas pelas restrições anticovid, as lendárias festas do Festival de Cannes são anunciadas este ano mais exclusivas do que nunca, com capacidade muito limitada. A busca por convites para essas festas famosas, que costumam ser de difícil acesso, vai ser mais complicada nesta edição.

Há alguns anos, esses eventos foram reduzidos devido à crise econômica e às pressões dos vizinhos, que estão fartos de tanto barulho.

Este ano, a pandemia obriga a uma maior limitação dessas festividades: “Não vamos multiplicar as festas e grandes confraternizações, que podem ter consequências difíceis. É responsabilidade de todos - o festival, a cidade, os assistentes - para que isso evento pós-pandêmico transcorra da melhor forma possível”, afirma Pierre Lescure, presidente do evento.

“Seremos responsáveis. Teremos jantares para (as equipes de) filmes que receberão no máximo 140 pessoas. Nada de criar focos", disse Albane Cléret, uma das grandes organizadores de festas do festival, especialmente as conhecidas Terrasse by Albane, que acontecem no topo do luxuoso hotel Marriott.

A joalheria Chopard, fornecedora oficial da Palma de Ouro, decidiu cancelar sua grande festa anual, um dos principais eventos das noites festivas. Em vez disso, sediará pequenos eventos selecionados no terraço do Martinez, outro hotel glamouroso.

“Temos sorte de estar ao ar livre, então será mais fácil respeitar o protocolo sanitário”, diz Muriel Gréhan, diretora de comunicação da empresa.

“Um festival sem festas reais não parece possível”, avalia Alexandre Maras, da revista Gala Heart. “As festas fazem parte do festival. Os filmes terminam entre duas taças de champanhe”, enfatiza. “Este ano teremos mais eventos exclusivos. Será ainda mais premium!”

Por parte da amfAR, fundação americana de luta contra a aids, também há uma mudança de estratégia por conta do covid-19: sua famosa gala beneficente, que a cada ano atrai uma longa lista de celebridades, terá apenas 400 participantes, em comparação aos 900 de outros anos.

"Nossa gala será realizada no dia 16 de julho sob as estrelas para reduzir os riscos. Para a saúde dos hóspedes e funcionários, respeitamos rigorosamente todos os regulamentos e restrições", disse Bennah Serfaty, assessor de imprensa da amfAR. Alicia Keys, Milla Jovovich, Nicole Kidman, Heidi Klum ou Carine Roitfeld já confirmaram presença.

No nível municipal, outro indicador de que essas comemorações vão ser reduzidas é que os organizadores da festa encomendaram bem menos lixeiras, segundo Marie-Agnès Portero, chefe da área de Meio Ambiente da aglomeração Cannes Lérins.

“Enfim, esses gestos de barreira permitirão organizar eventos ainda mais privados e confidenciais, e é melhor!”, insiste Albane Cléret. "Uma nova era está despontando: as festas em Cannes costumam ser realizadas com pessoas que não precisam estar lá... Estamos fazendo jantares para refazer o mundo e realmente falar de negócios."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.