Faturamento de Hollywood cresce 27,5%

Nem todo mundo tem motivo para reclamardo marasmo da economia americana nos últimos tempos. Hollywood,por enquanto, tem razões de sobra para comemorar. O primeirosemestre deste ano surpreendeu todo mundo com bilheterias 27,5%mais gordas do que as do mesmo período no ano passado. Filmescomo Homem-Aranha, Episódio 2: Ataque dos Clones eoutros blockbusters a caminho dos cinemas devem garantir umfaturamento recorde para a indústria em 2002.O ano passado já foi o melhor período de arrecadação dahistória de Hollywood: US$ 8,3 bilhões. Para este ano, mesmo semum Titanic, o mega-hit de 1998, as expectativas maisotimistas são de um faturamento de US$ 10 bilhões. A capital do cinema tem conseguido a façanha de fazer com que os americanos gastem dinheiro, muito dinheiro, nas bilheterias, em uma época que a televisão, o rádio e a imprensa sofrem com reduções expressivas de lucros.A receita do sucesso começa com uma série decontinuações de blockbusters recentes, como o quinto filme dasérie Guerra nas Estrelas, Episódio 2: Ataque dos Clones. Outras seqüências de grandeorçamento com estréias previstas para as próximas semanas sãoHomens de Preto 2, Austin Powers in Goldmember (oterceiro filme da série), Stuart Little 2 e muitos outros.Para o fim do ano, ainda vão chegar as telas hits como OSenhor dos Anéis: As Duas Torres.A mania das histórias em quadrinhos de super-heróis quevão parar nas telas também tem rendido muito dinheiro para osestúdios. O recorde absoluto, até agora, é de Homem-Aranha,que já faturou mais de US$ 390 milhões apenas no mercadoamericano. Scooby-Doo, que estreou há três semanas, jápassou da marca dos US$ 125 milhões, apesar de críticas muitonegativas. Outros super-heróis a caminho das telas em 2003 e2004 são o Demolidor, Hulk, Homem de Ferro, Quarteto Fantástico,Príncipe Submarino, Justiceiro.As campanhas de marketing também estão cada vez maisincrementadas. Seismeses antes da estréia de Era do Gelo, por exemplo,que faturou US$ 173 milhões, o estúdio 20th Century Fox já tinhacomeçado a passar anúncios do filme na TV. Minority Reportganhou propaganda extra com os anúncios dos carros Lexus criadospara o filme. Homem-Aranha aproveitou os comerciais daempresa de telefonia celular Cingular.Outro acerto da capital do cinema é estrear osblockbusters no maior número possível de telas, para que todomundo consiga assistir ao filme sem ter de ficar em longasfilas. Produções recentes têm estreado no recorde de até 8,5 miltelas na América do Norte. Em alguns complexos de cinema, o mesmo filme éexibido em cinco ou seis salas, com intervalos mínimos entre assessões. Outra lição aprendida recentemente é planejar bem asestréias para evitar que dois filmes grandes, com o mesmopúblico-alvo, cheguem às telas no mesmo dia.Por outro lado, é pouco provável que outro Titanic, em termos deorçamento, venha a ser feito. Hollywood tem tentadocolocar um teto em seus gastos com produções, por maiores quesejam. No ano passado, pela primeira vez em muito tempo, o preçomédio de uma produção de Hollywood baixou: US$ 47,1 milhões, umpouco menos do que no ano anterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.