Fãs de todo o mundo aguardam "A Vingança dos Sith"

Nas palavras de Obi-Wan Kenobi, "Che la Forza siá con te." Como? O mestre Jedi fala italiano? É claro. E chinês, francês e uma variedade de outros idiomas que permitiram que ele e o os outros personagens da muito, muito distante galáxia de Star Wars conquistassem fãs em todo o planeta. Ao redor do mundo, a estréia nesta semana do episódio final da série de ficção científica de George Lucas - Episódio 3: A Vingança dos Sith é esperada com ansiedade. Aqui no Brasil, só a rede de cinemas UCI anunciou que já vendeu, em todo o país, mais de 10 mil ingressos antecipados para os primeiros dias de exibição do filme. Em Estocolmo, fãs acamparam por dias para conseguirem ingressos antecipados que foram vendidos em menos de uma hora depois que a bilheteria foi aberta. Em Milão, na Itália, fãs se vestiram em fantasias de Guerra nas Estrelas e desfilaram em um campo de futebol para conseguir doações para hospitais infantis. A mania mundial cresceu desde o primeiro filme, lançado em 1977, e a série levou a globalização e o uso de termos esquisitos em inglês em outra línguas. Com os anos, os personagens tornaram-se mais familiares de Buenos Aires a Pequim e além, e também passaram por estranhas transformações. Na Itália, os robôs C-3PO e R2-D2 tinham nomes diferentes na primeira trilogia: respectivamente D-3BO e C1-P8. Como sua fama internacional cresceu, a dupla começou a ser chamada por seus nomes originais. Na França, Chewbacca foi inicialmente conhecido como Chique-Tabac (literalmente, mascar tabaco). Mas ele já é o velho e bom Chewbacca agora. Algumas mudanças ficaram: na Itália, Darth Vader é "Darth Fener". Para os franceses, ele é "Dark Vador". "Darth Vader é impossível de se dizer em francês", disse Patrice Giroud, um organizador de uma convenção de três dias de Star Wars em Paris no fim de semana, que foi a primeira deste tipo na Europa.Para os alemães, Yoda é "Jedi-Meister Yoda". Os suecos chamam a série de Stjarnornas Krig. Em chinês, o último episódio é conhecido como Xisi de Fanji. A première britânica do filme foi precedida por um desfile dos soldados do império na Leicester Square. Os ingressos foram vendidos em minutos por US$ 460 cada. Uma multidão se juntou no centro de Londres para ver o diretor George Lucas e parte do elenco: Ewan McGregor, Natalie Portman e Hayden Christensen.O nível do fanatismo é menor em países que fizeram parte do bloco soviético como a Checoslováquia ou a China, cuja relação com o cinema de Hollywood é menor. Mas, na China, apesar do pouco espaço dado à estréia pelos jornais, o site oficial da agência de notícias Xinhua reproduz uma reportagem que diz que 300 cópias do filme foram enviadas à China, sendo 200 em inglês, destacando que era a primeira vez que o número de cópias chinesas eram menores que as faladas em inglês.Até mesmo a França caiu sob o feitiço. Os três maiores jornais do país traziam fotos dos personagens da saga na segunda-feira. "Seja qual for a língua, você pode colocar uma criança para ver um filme de Star Wars que ela ficaria encantada apenas com a música, o sim e as imagens", disse Giroud, editor da revista LucasFilm. Seja para os franceses, "Que la Force soit avec toi"; italianos, "Che la Forza sia con te"; ou português, "Que a Força esteja com você", as traduções para a frase "May the Force be with you´´ são bem conhecidas em todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.