"Fahrenheit 9/11" consegue distribuidor nos EUA

Michael Moore conseguiu um distribuidor nos Estados Unidos para seu premiado documentário, Fahrenheit 9/11, que chega aos cinemas em 25 de junho. O filme será lançado em uma parceria de três empresas, a Lions Gate Films, a IFC Films e a Fellowship Adventure Group, a última formada pelos irmãos Harvey e Bob Weinstein especialmente para comercializar o filme de Morre. O documentário, que recentemente venceu a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, critica as respostas do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, aos atentados terroristas de 11 de setembro e conecta a família Bush à família de Osama Bin Laden.Os irmãos Weinstein, presidentes da Miramax, compraram os direitos do filme da Disney, que é dona da Miramax e proibiu a subsidiária de distribuir Fahrenheit 9/11. Os Weinstein disseram ontem que vão cuidar pessoalmente das finanças, da distribuição e do marketing do filme. "Sou muito grato a eles agora que todos que querem ver o filme terão a chance", disse Moore. O diretor executivo da Disney, Michael Eisner, disse que o filme foi vetado pois público alvo da empresa "não queria um filme político". Em um acordo assinado no final da semana passada, os Weisteins reembolsaram a Disney por todos os custos do filme, estimados em US$ 6 milhões. Qualquer lucro que a Disney ou a Miramax recebam por causa do longa será doado a instituições de caridade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.