"Fahrenheit 9/11" bate recorde na Grã-Bretanha

Fahrenheit 9/11, de Michael Moore, bateu o recorde de bilheteria de documentário na Grã Bretanha em seu final de semana de estréia, arrecadando US$ 2,4 milhões, disse hoje uma distribuidora britânica. O filme, uma áspera crítica ao governo Bush, estreou sexta-feira em 132 salas de cinema britânicas e foi aplaudido de pé. O documentário questiona a legitimidade do governo Bush devido às controvérsias das eleições de 2000, denuncia que a família do presidente tem vínculos suspeitos com a família real saudita e com a família de Osama bin Laden, critica a maneira como o presidente lidou com os atentados de 11 de setembro de 2001 e a invasão do Iraque. Premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes foi aplaudido de pé nos Estados Unidos e na Grã Bretanha. A distribuidora inglesa Optimum Releasing disse que o recorde anterior era de Tiros em Columbine, também de Moore, que acumulou US$ 292.300 dólares em seus três primeiros dias. O sucesso inicial de Fahrenheit 9/11 significa que talvez o filme se torne o documentário de maior bilheteria da história britânica. O recorde foi estabelecido em 2003 com Touching the Void, um filme sobre alpinismo que arrecadou um total de US$ 4,77 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.