EUA negam visto a iraquiano protagonista de United 93

Os Estados Unidos negaram hoje o visto de entrada ao iraquiano Lewis Alsamari, protagonista de United 93, filme sobre os atentados de 11 de setembro. Alsamari ia para Nova York justamente para assistir à estréia da produção cinematográfica, na noite de inauguração do Festival de Cinema de Tribeca, em Manhattan, segundo informou hoje o jornal The Evening Standard. Os Estados Unidos negaram o visto com o argumento de que ele serviu ao Exército iraquiano no início dos anos 90, embora diga que teve que fazer isto por estar sendo pressionado pelas autoridades.Alsamari, que interpreta, no filme, o líder dos seqüestradores dos aviões, foi informado pela embaixada norte-americana de Londres que muito dificilmente conseguiria o visto. "Eu nasci no Iraque, mas vivo na Grã-Bretanha desde 1996 e vou pedir a cidadania britânica", declarou Alsamari.Em 11 de setembro de 2001, dois aviões da United Airlines, seqüestrados pelo grupo terrorista Al-Qaeda e sob a liderança de Osama Bin Laden, colidiram contra as torres gêmeas do World Trade Center e contra o Pentágono, a sede do departamento de Defesa dos Estados Unidos. Um outro avião, também seqüestrado, caiu em Shanksville, na Pensilvânia, e não deixou sobreviventes.Dirigido pelo britânico Paul Greengrass, United 93 reconstitui o que aconteceu no vôo 93 da empresa americana United Airlines. O avião, que os terroristas supostamente queriam jogar sobre a Casa Branca, caiu na Pensilvânia, levando todos os passageiros à morte.United 93 causou polêmica antes da sua estréia oficial, e um cinema nova-iorquino teve que retirar o material de divulgação por causa dos protestos de alguns espectadores.

Agencia Estado,

21 de abril de 2006 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.