"Eu Tu Eles" surpreende e conquista Havana

Surpreendendo a todos, o brasileiro Eu Tu Eles, de Andrucha Waddington, sagrou-se o grande vencedor do 22º Festival de Cinema de Havana e levou o Grande Prêmio Coral. Apesar de ter sido recebido com frieza pelo público cubano, o filme sensibilizou o júri oficial, que considerou a obra capaz de revelar de maneira inusitada uma faceta da realidade latino-americana. O filme recebeu mais dois prêmios: menção honrosa à atriz Regina Casé, cuja interpretação foi considerada "comovente", e melhor trilha sonora para Gilberto Gil.O cinema brasileiro recebeu outros importantes prêmios em Havana. O documentário O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas, de Marcelo Luna e Paulo Caldas, ganhou o segundo Coral de documentários. BMW Vermelho, de Reynaldo Pinheiro e Edu Ramos, foi considerado o melhor curta-metragem. De Janela pro Cinema, de Quiá Rodrigues, e Deus É Pai, de Allan Sieber, ganharam respectivamente o segundo e o terceiro Corais de animação. O Sonho de Rose levou o Prêmio Documental Memória. Os outros principais vencedores do festival foram os argentinos Esperando o Messias, de Daniel Burman, e Nueces para el Amor, de Alberto Lecchi, que receberam o segundo e o terceiro Corais de ficção. Amores Perros, do mexicano Alejandro González Iñarritu, ficou com o troféu para diretor estreante. O peruano Francisco Lombardi ganhou o prêmio de direção por seu Tinta Roja, e a ousadia formal do mexicano Arturo Ripstein, com Así Es la Vida, uma recriação moderno de Medéia, foi reconhecida com o Prêmio Especial do Júri e o prêmio da crítica internacional (Fipresci). O prêmio de melhor atriz ficou com Ariadna Gil, por Nueces para el Amor, e o de melhor ator foi dividido entre Gianfranco Brero, de Tinta Roja, e Julio Jung, de Coronación.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2000 | 18h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.