Estúdios Disney resgatam filme de Salvador Dali

Pode parecer incrível, mas Salvador Dali e Walt Disney já fizeram dupla: em 1946, os dois trabalharam num curta de nome Destino , que foi engavetado por razões financeiras. Roy E.Disney, sobrinho do criador de Mickey, e o produtor Baker Bloodworth, resgataram o projeto. Roy conta que Dali tinha muita estima por seu tio e considerava-o um vanguardista. Em 1937, em carta ao escritor André Breton, Dali dizia que tinha chegado a Hollywood e estava conversando com grandes surrealistas: os irmãos Marx, o produtor Cecil B. DeMille e Walt Disney.Dali, que tinha adquirido experiência cinematográfica com o cineasta espanhol Luis Buñuel, apresentou sua idéia durante um jantar na casa do chefão da Warner Brothers, Jack Warner. Disney ficou encantado e destacou o diretor John Hench para transformar Destino numa espécie de precursor do vídeoclipe. O filme tem seis minutos de duração e exibe alguns dos quadros mais enigmáticas de Dali, como uma pirâmide com um relógio em sua base. Segundo Bloodworth, as imagens foram geradas por computador, para realçar o visual da época. Destino agora corre o mundo. Foi apresentado em vários festivais, entre os quais o de Annecy, na França, e o de Melbourne, na Austrália. Recebeu prêmios e elogios da crítica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.