Estúdios de Hollywood investem no cinema digital

Os principais estúdios de cinema de Hollywood decidiram criar uma norma comum para a projeção digital de filmes, o que poderia significar, a longo prazo, o fim das películas de 35mm. A Digital Cinema Initiatives (DCI), uma sociedade que reúne os principais estúdios americanos, anunciou nesta semana ter concluído as especificações técnicas para os fabricantes de material de projeção. "Temos agora uma norma comum, que permitirá aos fabricantes criar materiais que poderão ser usados em todo o país e, esperamos, em todo o mundo", disse Walt Ordway, responsável pela parte tecnológica. A DCI foi formada em março de 2002, e reúne os estúdios Disney, Fox, Paramount, Sony Pictures Entertainment, Universal e Warner Bros., as seis empresas cinematográficas americanas mais poderosas, que comemoraram o avanço. A longo prazo, o acordo deverá representar o fim do filme de 35mm. A curto prazo, irá garantir a projeção de filmes de altíssima qualidade técnica com uma ampla margem de reutilização sem falhas. Para que o sucesso do cinema digital seja total, estúdios e donos das salas de cinema ainda têm que chegar a um acordo sobre o financiamento da substituição dos projetores clássicos por aparelhos de última geração. "As especificações permitirão a criação de uma plataforma comum para o desenvolvimento das inovações técnicas, e serão um incentivo para os executivos que possam estar reticentes em investir numa tecnologia que poderia não ser viável", disse Ordway. "À medida que o mercado for se ampliando, o preço do equipamento e da instalação cairá a um ponto em que o custo já não será um problema", afirmou. Segundo especialistas, o novo formato ajudará Hollywood, que luta para reconquistar o público americano, a competir com o DVD e a internet, e melhorar a qualidade visual de seus filmes. O presidente da Organização Nacional de Proprietários de Salas de Cinema, John Fithian, descreveu a nova norma como "uma etapa importante para tornar realidade o cinema digital".

Agencia Estado,

29 de julho de 2005 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.