Estúdios anunciam seus blockbusters para a temporada de verão nos EUA

Filmes como 'Godzilla' e a sequência de 'X-Men' estão entre as apostas e começam a chegar em maio ao Brasil

Elaine Guerini, Las Vegas - Especial para O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2014 | 16h12

Super-heróis, macacos, bruxas de contos de fada, o lendário Godzilla e astros com cachê na faixa de US$ 20 milhões brigam, a partir de maio, pelas maiores bilheterias de verão nos cinemas americanos. Durante a CinemaCon, realizada na semana passada em Las Vegas, o foco das apresentações dos lançamentos de férias dos grandes estúdios caiu sobre os filmes concebidos para superar os US$ 100 milhões de renda doméstica - prometendo ótima performance também no mercado internacional.

No Caesars Palace Colosseum, um auditório com capacidade para 4 mil pessoas (atualmente o palco da temporada de shows da cantora Celine Dion), os estúdios de Hollywood não pouparam esforços para disputar a atenção dos exibidores durante os quatro dias da CinemaCon. Organizada pela NATO, a associação nacional dos proprietários de cinemas dos EUA, essa convenção anual serve de preview, antecipando o que o setor pode esperar em termos de chamarizes de bilheteria da temporada mais importante para a indústria do cinema.

É no verão, durante as férias escolares, que os estúdios lançam os chamados filmes-evento, as superproduções que se credenciam a buscar as maiores receitas do ano. Muitas vezes, são as bilheterias dessa temporada que compensam as perdas eventuais dos estúdios, com os filmes não lucrativos lançados em outras épocas.

Como ocorre todos os anos (desde a época em que o evento era conhecido como ShoWest), cada estúdio usa as armas que tem para convencer o setor exibidor a dar atenção especial aos seus filmes. A Warner levou ao palco astros como Adam Sandler e Drew Barrymore (grávida de oito meses) para divertir os exibidores com suas piadas. Como a química da dupla já foi testada e aprovada em Afinado no Amor (1998) e Como se Fosse a Primeira Vez (2004), o estúdio repete a dose na comédia Juntos e Misturados - com estreia nos Estados Unidos em 23 de maio e no Brasil em 17 de julho.

"A Warner foi o estúdio que liderou o mercado global em 2013", disse o CEO da Warner, Kevin Tsujihara, ao abrir a apresentação da empresa. A bilheteria de US$ 4,95 bilhões foi obtida graças às performances de O Hobbit - A Desolação de Smaug e Homem de Aço, entre outros.

Para tentar repetir a liderança neste ano, a Warner resgata uma das criaturas mais queridas do cinema de ficção científica: Godzilla, criado pelo Toho Studios no Japão, em 1954. O lagarto atômico volta a aterrorizar as telas americanas, em 16 de maio (15, no Brasil), chegando aos cinemas duas semanas depois da estreia de O Espetacular Homem-Aranha 2, a principal arma da Sony para o verão (em cartaz a partir de 2 de maio nos EUA e 1º de maio por aqui). A ideia é ultrapassar a marca do filme anterior, que somou renda de US$ 752 milhões em 2012, trazendo um vilão novo para Peter Parker (Andrew Garfield) enfrentar: Electro (Jamie Foxx).

A Fox contra-ataca com mais uma aventura dos mutantes em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido (com lançamento aqui em 22 de maio e nos EUA no dia seguinte). Nesse novo capítulo da franquia, que já arrecadou mais de US$ 1,8 bilhão, com cinco filmes, os mutantes tentam se conectar com suas versões jovens, buscando alertá-los do destino que os espera, num campo de concentração. A Fox também enfrenta a concorrência com O Planeta dos Macacos 2 - O Confronto (a partir de 11 de julho nos EUA e 24 de julho no Brasil), a continuação do título que reiniciou a série de filmes dos símios em 2011, arrecadando US$ 481 milhões mundialmente.

A Disney entra na briga com Malévola, explicando por que a vilã do clássico A Bela Adormecida enveredou pelo caminho do mal. O filme-família entra em cartaz em 30 de maio nos EUA (e no dia anterior nas telas nacionais). "Só mesmo uma estrela do calibre de Angelina Jolie para abraçar um ícone dos contos de fada nas telas", disse o presidente da Disney, Alan Horn, que frustrou os exibidores ao não conseguir levar a atriz para a apresentação do estúdio em Vegas.

Dwayne Johnson e Mark Wahlberg, que prestigiaram o evento, são as principais apostas da cartela da Paramount. O primeiro é o astro de Hércules, que resgata o herói da mitologia grega nas telas (com lançamento em 25 de julho em solo americano e 4 de setembro no Brasil). Wahlberg subiu ao palco para promover Transformers: A Era da Extinção (27 de junho e 17 de julho), que ele garantiu que será "a maior bilheteria de 2014".

A Universal espera atrair o público do verão investindo em comédias como Vizinhos, com Seth Rogen and Zac Efron encabeçando o elenco (9 de maio nos EUA e 5 de junho por aqui), e Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola (30 de maio e 17 de julho), o faroeste dirigido e estrelado por Seth MacFarlane.

A grande aposta da Universal para a temporada seria Velozes e Furiosos 7. Mas a morte de Paul Walker, em acidente de carro, em novembro, obrigou o estúdio a empurrar o lançamento para abril de 2015, já que a participação do ator será concluída no filme com uso de dublês e efeitos especiais, o que exige mais tempo de produção.

Tudo o que sabemos sobre:
Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.