Estrelas e manifestantes vão dividir tapete de Cannes

Artistas e trabalhadores do setor cultural francês, em protesto contra cortes de benefícios trabalhistas, vão dividir o tapete vermelho do Festival de Cannes com as estrelas do cinema mundial. A concessão feita pelos organizadores tem por objetivo evitar que uma eventual onda de protestos perturbe Cannes, a mostra de cinema mais prestigiada do mundo, cuja edição 2004 começa amanhã.Técnicos e artistas estavam ameaçando fazer da mostra palco de suas manifestações para pressionar o governo a recuar da iniciativa de cortar auxílios a desempregados. O receio de que os protestos pudessem espantar as estrelas fez com que a segurança fosse reforçada. Fez também com que trabalhadores de setores que dependem dos visitantes, como hotéis, restaurantes e lojas, saíssem às ruas para pedir o fim dos protestos. E hoje veio o acordo. Pelo acertado, uma delegação de manifestantes poderá participar da cerimônia de abertura e divulgar seu protesto sem maiores tensões. Além disso, poderá usar uma sala de Cannes como ponto de encontro e para promover uma entrevista coletiva.Brad Pitt, Pedro Almodóvar, Quentin Tarantino, Uma Thurman, Cameron Diaz, Eddie Murphy, Geoffrey Rush, Charlize Theron, entre muitos outros, são esperados no Festival de Cannes, que vai até 23 de maio. O cineasta brasileiro Walter Salles disputa a Palma de Ouro por Diários de Motocicleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.