ESTREIA-'Plano de Fuga' tem Mel Gibson no papel de bandido preso

Depois de quatro edições de "Máquina Mortífera" (1987, 1989, 1992 e 1998), Mel Gibson espana a poeira e tenta resgatar o que ficou na memória dos fãs da franquia com um novo filme de ação, só que, desta vez, atuando do lado oposto da lei.

REUTERS

17 de maio de 2012 | 10h21

"Plano de Fuga", estreia como diretor de Adrian Grunberg (após longa carreira como assistente de direção em filmes como "Amores Brutos" e "Efeito Colateral"), possui aqueles ingredientes que agradam aos fãs do gênero: protagonista durão, mas de bom coração; doses generosas de pancadaria; injustiças que precisam ser corrigidas e uma virada pessoal.

Nem todos esses ingredientes, no entanto, estão bem diluídos na trama e o resultado é um filme irregular, deixando a desejar justamente no que o público do gênero mais gosta, ação.

O filme começa com uma perseguição policial na fronteira entre o México e os Estados Unidos, em que o motorista e seu companheiro em fuga, que está ferido, estão vestidos de palhaços.

Como não estão sendo perseguidos por terem fugido do circo, fica logo claro que eles têm problemas com a lei. E como surge uma mala com dinheiro, o veredicto é claro: assaltaram um banco e tentam fugir para o México, como faziam os ladrões no velho Oeste.

Mas o pesadelo da fuga, que culmina com a morte do ferido, está longe de acabar. O motorista (Gibson) é levado para uma prisão mexicana onde se dá conta de que é alvo de uma engrenagem corrupta, na qual policiais, diretores do presídio e os próprios bandidos operam em parceria uma rede criminosa dentro e fora das grades, comandada com mão de ferro pelo mafioso Javi (Daniel Gimenéz Cacho).

O mais estranho, como nota um desconfiado funcionário do consulado norte-americano, é que o motorista, como é chamado na cadeia, não foi identificado e fichado. Os policiais que o prenderam acreditam que ele tenha escondido mais que os 2 milhões de dólares confiscados por eles.

A prisão é uma espécie de favela murada, onde os bandidos andam livremente e fazem negócios. Por mais estranho que possa parecer, mães presas vivem ali com seus filhos pequenos, enquanto cumprem pena.

Um exemplo é um garoto de 9 anos (Kevin Hernandez), que se aproxima do americano e o ajuda a sobreviver nessa prisão bizarra. O menino é órfão de pai e vive com a mãe, presa por tráfico de drogas. Ele conhece todos os segredos do lugar, mas tem um que ele não quer revelar ao motorista.

(Por Luiz Vita, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEESTREIAPLANODEFUGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.