Estréia o filme inglês "O Segredo de Vera Drake"

O Segredo de Vera Drake, filme do britânico Mike Leigh que estréia hoje, conta com uma atriz iluminada, Imelda Staunton, que ganhou o prêmio de interpretação feminina em Veneza e foi uma das finalistas ao Oscar. Imelda vive dona de casa de classe operária inglesa, nos anos que se seguem ao fim da 2.ª Guerra. O país está empobrecido pelo conflito que durou seis anos e custou ao mundo mais de 50 milhões de vidas. Ela tenta viver, com sua família, dentro da dignidade. Uma pobreza difícil, porém digna. O porém é que Vera mantém uma atividade paralela: ela realiza abortos.Vera Drake se propõe a ajudar moças em dificuldades apenas porque tem dó delas. Elas se meteram em trapalhadas e agora estão sozinhas no mundo. Num mundo pouco receptivo a quem tenha caído em erro, ou em pecado, como se diz. Vera as ajuda. Como ajuda outras mulheres não tão moças, mas que não podem, àquela altura da vida, arcar com mais despesas e dificuldades. Vera é um anjo de bondade, na verdade. Leigh evita julgá-la e nos convida a fazer o mesmo. Inútil dizer que essa postura imparcial lhe rendeu não poucas críticas. Certos temas ainda são tabus, mesmo em sociedades européias, tidas como mais desenvolvidas. Vera Drake não tem lá grande consciência do que faz. E, exatamente por isso, Leigh pode discutir o dilema moral proposto no filme. A graça do filme é enfrentá-lo em toda a sua complexidade. E sem nenhum atenuante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.