Estréia o desenho da Disney "Irmão Urso"

Selton Mello, que dubla opersonagem Kenai de Irmão Urso, confessa que tem um carinhoespecial pelo novo desenho dos Estúdios Disney, que estréiahoje, em mais de 300 salas de todo o Brasil. Com as 320cópias de Acquaria que estarão circulando, também a partir dehoje, pelo País, só esses dois filmes para o públicoinfantil vão ocupar quase a metade do circuito nacional deexibição. Nas próximas semanas estarão entrando o novo filme deXuxa e O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei, completando umquadro de férias em que restarão poucas alternativas para osespectadores que não quiserem rezar pela cartilha do cinemão. É verdade que não há por que nutrir preconceitos. IrmãoUrso é um belo filme para crianças de todas as idades, dos 8aos 80 anos. E quanto a O Retorno do Rei, o terceiro filme dasérie que Peter Jackson adaptou da saga cult de J.R.R. Tolkien,é um dos mais esperados do ano, já que os dois primeiros, ASociedade do Anel e As Duas Torres, são obras que justificam,por si sós, a existência de Hollywood como máquina de sonhar econstruir grandes histórias. De volta a Irmão Urso e a SeltonMello, o ator de Lisbela e o Prisioneiro, que há anos trabalhacomo dublador - fez a dublagem da lendária série Charlie Brown - diz que poucas vezes viu uma história tão bonita, tratando detemas como ecologia e espiritualidade com tanta sensibilidade.Acrescenta que ele próprio se sente como um urso. Gosta de ficarno canto dele, hibernando, o que criou a imagem de que é umsujeito tímido, quando ele prefere dizer que é reservado. Mitos de reencarnação e transformação aparecem em todasas culturas. Fornecem o tema do desenho de estréia de AaronBlaise e Bob Walker. Os dois exibem uma extensa lista decontribuições à Disney e às platéias infantis de todo o mundo.Blaise foi supervisor da animação de personagens de O Rei Leãoe Walker foi diretor de layout, responsabilizando-se pelaconstrução de cenários e iluminação de A Bela e a Fera. Pareceque foi ontem, mas já se completaram 12 anos desde que a Bela ea Fera dançaram no computador, iniciando uma nova era naanimação (e nos desenhos da Disney). A dupla de diretoresvolta-se agora para a história de Kenai. Ele é um urso, masantes disso é humano, um guerreiro transformado em animal paraconduzir à terra de seus ancestrais o ursinho, cuja mãe elematou. Essa experiência no corpo do outro lhe permitedesenvolver uma nova visão do mundo e da natureza. E, protegendoo ursinho, ele termina por participar duplamente de uma jornadade conhecimento - a dele mesmo e a do pequeno Koda. Como sempre nos desenhos da Disney, existe a tramaprincipal e uma série de tramas paralelas, com personagenssecundários que enriquecem o relato. A relação de Kenai e Koda édramática, o humor fica principalmente por conta da dupla dealces interpretada por Luiz Fernando Guimarães e Marco Nanini.Eles também adoraram emprestar a voz a essas figuras. Naninivinha da experiência de dublar-se a si mesmo em Apolônio Brasil- O Campeão da Alegria. Cerca de 90% das cópias de Irmão Urso serão dubladas.Restarão umas 30 para os espectadores - em geral, os adultos -que quiserem conferir as vozes originais. Joaquim Phoenix, deGladiador, faz Kenai na versão americana e a trilha temcanções de Phil Collins, incluindo mais dois grupos musicaisaclamados. Um é o grupo de gospel, vencedor de vários Grammys,The Blind Boys of Alabama. Cantam de forma emocionante a cançãoWelcome, que virou Bem-Vindo, na versão brasileira. O outroé o grupo feminino Bulgarian Women´s Choir, no númeroTransformation (Transformação). O resultado pode não ser tãobom quanto Procurando Nemo - o melhor desenho da Disney desdeO Rei Leão, de 1944 -, mas a magia do estúdio continua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.