Estréia na China a animação mais cara já feita no país

O desenho animado mais caro da história da China, "Através da Faixa de Moebius", estréia nesta sexta-feira nos cinemas do país, segundo informou a imprensa nacional.O filme, usando a técnica de animação em três dimensões, tem versões em inglês e chinês e seu custo chega a US$ 16,25 milhões. A produção contou com a participação de mais de 400 especialistas estrangeiros, disseram à agência "Xinhua" fontes do Institute of Digital Media Technology, de Shenzhen, responsável pelo filme.Entre outros colaboradores, participaram o realizador de "Mulan 2", Glenn Chaika, e os diretores de animação de filmes como "Stuart Little" e "Toy Story 2", Kelvin Lee e Bob Koch.O filme, que levou cinco anos para ficar pronto, é inspirado nas obras de ficção científica do desenhista francês Jean Giraud, conhecido também como Moebius. Suas histórias serviram também como inspiração para filmes como "Alien", "O Segredo do Abismo" e "O Quinto Elemento"."Vamos distribuir mais de 100 cópias em todo o país, e esperamos obter uma arrecadação em bilheteria de US$ 1,25 milhão na China continental", declarou Teresa Cao, porta-voz da produtora.Por enquanto, os direitos de distribuição foram vendidos a mais 10 países. Em breve deve começar a venda de produtos relacionados, como brinquedos, roupas e livros, explicou Cao.Com este filme, a China pretende seguir a linha de animações recentes como "A Lanterna de Lótus" (1999) e "O Pequeno Soldado de Zhangga" (2005). Desta vez, a opção por uma temática ocidental é uma estratégia para atrair tanto o público nacional quanto o estrangeiro.A indústria da animação chinesa viveu sua época de ouro entre os anos 60 e 70. Atualmente, as autoridades permitem a exibição no país de quatro desenhos de outros países para cada seis chineses. Mas chegou a ser discutida uma proibição total dos estrangeiros, numa tentativa de fazer decolar o setor.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2006 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.